Número de vítimas no acidente em Capitólio sobe para oito e duas pessoas seguem desaparecidas

Subiu para oito o número de mortos na tragédia em Capitólio, Minas Gerais. Na manhã de ontem (08), uma imensa estrutura rochosa deslizou do cânion e atingiu quatro embarcações com turistas.

Por volta das 9h50 de hoje (09), a equipe do Corpo de Bombeiros localizou um corpo do sexo masculino submerso no local do acidente. Ainda restam duas pessoas desaparecidas.

Nesta manhã cerca de 50 militares se empenharam na operação de busca. Além deles, 11 mergulhadores dos bombeiros que são especialistas neste tipo de operação; 4 lanchas e 3 motos aquáticas da Marinha e dos bombeiros estão com o local delimitados para as buscas.

Ao total, são 4 mulheres e 4 homens entre os mortos, mas nenhuma dessas vítimas foram identificadas; 32 pessoas ficaram feridas, e dessas, 27 já foram liberadas.

A região é um importante ponto turístico e assim como algumas partes do Brasil, vem sendo atingidas pelas fortes chuvas. O Instituto Nacional de Meteorologia havia emitido um alerta de chuvas intensas, que durariam até a manhã de ontem.

A Defesa Civil de Minas Gerais também havia feito um alerta sobre a possibilidade de ocorrências de “cabeça d’água’.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

“Foi um livramento” : Turista escapa por minutos do deslizamento da imensa pedra e não chega a presenciar o acidente

Um grupo de turista da Baixada Santista, litoral de São Paulo, escapou por muito pouco do desabamento da pedra do Lago de Furnas, em Capitólio. O grupo encerrou o passeio no local cerca de 15 minutos antes da pedra deslizar e atingir as lanchas que estavam no momento.

A tragédia vitimou sete pessoas e deixou outras 3 desaparecidas. Um imenso pedaço do cânion caiu e atingiu duas lanchas que estavam atracadas no Lago de Furnas.

O acidente aconteceu por volta das 11h de ontem (08) e as lanchas atingidas afundaram com o impacto.

Um dos turistas que escapou do acidente foi o o agente de viagens de Guarujá, Thiago Souto, que conduzia um grupo de 34 pessoas. Eles saíram para almoçar e não chegaram a ver o acidente. Foi nesse momento que ele e os turistas  souberam do acidente.

“A gente, sem entender o que estava acontecendo, começou a atender familiares, amigos, clientes”, explicou.

Apesar de sentir um alívio por ter escapado antes, o desespero e a angustia por quem ficou no lugar foi inevitável. Amigos dele estava no local também trabalhando.

Thiago explicou que essa viagem aconteceria há dois anos, mas com a pandemia precisou ser adiada para ontem. “Minutos antes do ocorrido, a gente tinha passado por lá. Você ver que acabou não presenciando, não vivendo aquilo, de certa forma é um alívio. Foi um livramento”, finalizou Tiago.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.