Golpista que se dizia jogador de futebol é detido pelo 2º dia seguido no Ceará, após aplicar calote na hora de pagar a conta

O falso jogador de futebol que aplicou calote no domingo (28) de R$ 4,3 mil em um bar de Fortaleza, praticou o mesmo golpe no dia seguinte, na Praia de Canoa Quebrada, no município de Aracati, no Ceará. Relatos de um policial ao portal G1, confirmam que o mesmo homem suspeito entrou em um restaurante na segunda-feira (29), consumiu comidas e bebidas e disse que não tinha dinheiro quando era pra pagar pelos itens consumidos.

O policial de Aracati disse que o homem que aplicou o golpe foi agredido por moradores e funcionários do bar. Após ter sofrido agressão, o suspeito foi encaminhado para a Delegacia Regional da Polícia Civil de Aracati. O homem foi ouvido pela polícia e liberado na sequência “por ser crime de menor potencial ofensivo”, informou a Secretaria da Segurança do Ceará.

O caso está sendo apurado pela Delegacia Regional de Aracati, informou a Secretaria da Segurança Pública. O homem suspeito foi ouvido, liberado, mas está sendo investigado pela polícia. O suspeito de ter cometido este crime assinou um termo circunstanciado de ocorrência (TCO).

O mesmo homem havia entrado em um bar no Bairro Varjota, em Fortaleza, no domingo, e após dá a ‘carteirada’ como jogador de futebol, pediu bebidas para vários clientes do local. O valor gasto no consumo de bebidas caras como whisky, espumantes, além de energéticos, cerveja, drinks, água e porções de picanha importada, chegou a R$ 4.363,13, de acordo com a nota fiscal emitida.

Após ter sido encaminhado para a delegacia, o homem foi ouvido e liberado na sequência. O representante do estabelecimento que esteve na delegacia preferiu não seguir com a representação criminal contra o suposto jogador.

O homem estava acompanhado por dois seguranças e dois motoristas de aplicativo, quando chegou ao local no fim da tarde, segundo relatos dos funcionários do bar. Logo em seguida, o homem se apresentou como jogador de futebol, fazendo vários pedidos e convidando algumas mulheres para estar com ele. A partir daí, começou a oferecer bebida para as mulheres e para os homens que foram apresentados como seguranças.

O homem mandou garçons servirem bebidas caras até mesmo para o cantor e para a banda que estava se apresentando no local, segundo relato de funcionários. A polícia foi acionada pelos responsáveis pelo bar e encaminhou o homem para a delegacia. Os agentes informaram que o representante do estabelecimento esteve também na delegacia, mas preferiu não dá andamento à denúncia criminal contra o suposto jogador.

O advogado Luciano Dantas, membro da Comissão de Estudos em Direito Penal da OAB, explicou que o infrator pode ser enquadrado pelo crime de estelionato. Havendo a condenação, a detenção prevista é de 15 dias a dois meses, ou multa.

Segundo o artigo 49, o valor do dia-multa será fixado pelo juiz não podendo ser inferior a um trigésimo do maior salário mínimo mensal vigente ao tempo do fato, nem superior a 5 (cinco) vezes esse salário”, comentou.

Veja a literalidade da lei:
• Artigo 176: Tomar refeição em restaurante, alojar-se em hotel ou utilizar-se de meio de transporte sem dispor de recursos para efetuar o pagamento:
• Pena: detenção, de quinze dias a dois meses, ou multa.
• Parágrafo único: Somente se procede mediante representação, e o juiz pode, conforme as circunstâncias, deixar de aplicar a pena.
• Artigo 49: A pena de multa consiste no pagamento ao fundo penitenciário da quantia fixada na sentença e calculada em dias-multa. Será, no mínimo, de 10 (dez) e, no máximo, de 360 (trezentos e sessenta) dias-multa.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

publicidade

Gusttavo Lima é acusado por empresa de aplicar calote de quase R$ 70 mil

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais neste domingo (21). O cantor Gusttavo Lima é acusado por uma empresa de automação chamada GR de aplicar um calote de quase R$ 70 mil, hipótese que em um primeiro momento parece improvável por conta de todo patrimônio que o artista possui. A empresa citada resolveu acionar à justiça para que o débito seja quitado.

O valor citado é referente a aquisição e instalação de equipamentos personalizados que teriam sido feitos na casa de Gusttavo Lima, localizada em Goiânia, segundo informações de Fábia Oliveira, do site Em Off. Apesar da notificação extrajudicial, o pagamento de R$ 68.670,33 não teria sido pago.

Segundo informações, a empresa acionou a Justiça de Goiás para que o valor seja quitado. A juíza Raquel Rocha Lemos, da 23ª Vara Cível de Goiânia, citou recentemente o cantor Gusttavo Lima e a Balada Eventos, que também foi acionada, para quitar a quantia mencionada em 15 dias ou então apresentar embargos.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Artistas, Destaque.

publicidade