“Eu sou um filho horrível”: Menino morto pela mãe era obrigado a escrever frases ofensivas contra si em caderno

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta quinta-feira (5). A Polícia Civil do Rio Grande do Sul, realizou nessa terça-feira (3), buscas na casa de Yasmin Rodrigues, 26 anos, e encontrou um caderno com frases ofensivas. Yasmin está presa após confessar ter matado o próprio filho Miguel dos Santos Rodrigues, de 7 anos, em Imbé (RS). A investigação apontou que as frases eram escritas por Miguel. As informações descritas são do G1.

“não mereço a mamãe que eu tenho”, “eu sou ladrão, “eu sou ruim” e “eu sou um filho horrível”, “Eu sou um idiota”, são frases escritas por Miguel no caderno. A Polícia Civil também encontrou a corrente que seria utilizada para manter o menino preso. Os peritos criminais estiveram em dois apartamentos onde Yasmin morou com Miguel, e coletaram material genético, segundo informações do delegado Antonio Carlos Ractz, responsável pela investigação.

Yasmin foi presa no último dia 30 após confessar ter matado o filho Miguel. A mulher disse que administrou medicamentos para o filho na noite do último dia 28 e mesmo sem saber se ele estava morto jogou o corpo em um rio. As equipes do Corpo de Bombeiros ainda trabalham nas buscas para encontrar o corpo da criança.

A companheira de Yasmin, Bruna Nathieli Porto da Rosa, também foi presa no domingo (1º). A polícia encontrou mensagens no celular das investigadas sobre a compra de uma corrente para prender Miguel. O advogado de Yasmin ainda não se manifestou e a defesa de Bruna, Tristão Silvano, afirmou que está analisando o inquérito e pretende conversar com a investigada antes de se posicionar.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.