Dentro de Metrô, mulher leva marretada e acaba não resistindo: “O homem disse aos agentes que toma remédio e ouviu vozes”

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta terça-feira (27).Uma mulher foi morta a golpes de marreta na cabeça na madrugada dessa segunda-feira (26), dentro de um vagão da linha 1-Azul do Metrô, no momento em que a composição estava na estação Sé, Centro de São Paulo. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP), o homem foi preso em flagrante e encaminhado ao hospital depois de ser agredido por outros passageiros que se revoltaram com o crime.

A vítima tinha 46 anos e chegou a ser socorrida no local e encaminhada ao hospital, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu. O homem é um aposentado de 55 anos e foi detido por seguranças. O aposentado teria supostamente tido um surto psicótico e assassinado a mulher.

Testemunhas relataram que o homem estava com uma marreta e uma faca e disseram que houve muito corre corre no momento da ação .

“A marreta usada e uma faca de cozinha foram apreendidas. O homem disse aos agentes que toma remédio e ouviu vozes”, informou a assessoria da Secretaria da Segurança Pública.Mas não é só isso.

De acordo com as informações, o homem continua internado em um hospital com escolta policial.”Uma das testemunhas contou que o aposentado estava em pé e de repente, armado com uma marreta, foi para cima da vítima, que estava sentada”, informou a Secretaria da Segurança Pública.

A investigação será conduzida pela Polícia Civil que busca apurar as responsabilidades pelo crime. Imagens de câmeras de segurança serão solicitadas e testemunhas serão ouvidas além do interrogatório do suspeito. O homicídio foi registrado na Delegacia do Metropolitano (Delpom), na Barra Funda, Zona Oeste da Capital.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Psicóloga atira maracujá congelado pela janela de prédio e atinge idosa de 73 anos na cabeça

Um caso surpreendente está sendo destaque nesta segunda-feira (12). Uma idosa de 73 anos foi atingida na cabeça por um maracujá congelado jogado por uma psicóloga de 52 anos, do 13° andar de um prédio em Curitiba. No momento do episódio, estava acontecendo a Marcha da Família Cristã pela Liberdade, e a suspeita estava arremessando frutas congeladas e sacos de gelo nos participantes.

A Policia Militar entrou no prédio e deteve a psicóloga, que responderá por tentativa de homicídio. A vítima foi atendida e levada a um hospital para que pudesse levar pontos no ferimento.

A marcha acontecia como forma de protesto a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na qual deu autonomia para que estados e municípios proibissem o funcionamento de templos religiosos, afim de frear a disseminação do coronavírus. De acordo com um dos organizadores do evento, “todo mundo viu a mulher jogando frutas, sendo que uma delas acertou essa senhora. Era uma marcha tranquila e sem nenhum incidente. Uma mulher de 53 anos quase matar alguém mostra que vivemos o fim do mundo mesmo”.

A organização suspeita que a psicóloga estava em desacordo com o manifesto, acreditando se tratar de um movimento político. “A gente não pode levar bandeira do Brasil que o pessoal já pensa que é evento do Bolsonaro. A marcha de ontem era pela família cristã. Acredito que essa mulher pensou que ficaria impune ou que ninguém a perceberia”.

 

 

 

Da Redação do Acontece da Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.