“Nunca fui acusado”, diz delegado baleado em briga com noiva, um ano após o ocorrido

Um ano após o delegado Paulo Bilynskyj ser atingido por seis tiros durante uma briga com a noiva Priscila de Bairros em São Bernardo do Campo (SP), as investigações sobre o que aconteceu no dia em que a modelo morreu seguem em aberto.

Em entrevista ao “Domingo Espetacular”, da Record, Bilynskyj diz que não seria possível ele atirar: “Nunca fui acusado de nada, sempre ficou bem claro que eu era a vítima. Pelos ângulos dos disparos, era impossível fisicamente. Bala não faz curva”.

De acordo com o delegado, Priscila atirou em si mesma após realizar os seis disparos contra ele. Em entrevista ao programa, os advogados da família dela questionam o que motivou a modelo: “Dependendo o que motivou, o doutor Paulo pode responder por instigação ao suicídio”. Bilynskyj afirma que, na noite anterior aos tiros, Priscila viu uma mensagem de uma mulher no computador do namorado e não gostou. Ele diz que era uma mensagem anterior ao relacionamento dos dois, de uma admiradora do seu trabalho como policial.

Ainda segundo ele, ela disse que iria embora, para a casa de um ex, mas não saiu. Eles então dormiram em quartos separados. “A conversa dela foi muito explosiva, um comportamento que eu nunca tinha visto nela”, diz Paulo.

Textos e informações  do portal UOL

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Hospede do hotel, onde aconteceu o acidente do cantor MC Kevin, relata ter presenciado uma briga, entre o funkeiro e a esposa, horas antes do acidente

Mais um capítulo da história envolvendo a trágica morte do cantor de funk, MC Kevin, se torna publica nesta terça-feira (18). Isso, porque uma testemunha afirma ter presenciado uma briga entre o funkeiro e sua esposa horas antes de acontecer o acidente.

Ainda envolta de mistérios, a morte do cantor MC Kevin, que morreu ao cair da varanda de um hotel na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, no último domingo (16), segue trazendo novidades. Segundo informações passadas ao jornal “O Globo”, uma testemunha, um turista mineiro que estava hospedado no mesmo local, informou ter presenciado uma briga do funkeiro com sua esposa.

“Eu chegava no hotel com a minha família, por volta das 14h, e ele já estava no hall muito nervoso com a equipe e, principalmente, com a mulher dele. Ela saiu do hotel e foi para a parte externa”, lembra Luiz Henrique Rabêlo Pires, de 31 anos.

“Ele jogou uma garrafa de cerveja no chão e mandou ela entrar. O tempo todo ele ficava gritando com a equipe de produção, principalmente com o segurança, dizendo que tinha que fazer o que ele mandava. Não deu para entender o motivo da briga, mas logo depois ele saiu para a praia sozinho e ninguém foi com ele. Foi o que eu observei. Tudo isso aconteceu entre 14h ou 14h30. Depois eu não vi mais ele e só soubemos depois do acidente”, completou.

Luiz lembra que pedaços da garrafa de vidro quase atingiram sua família. “Eu cheguei a olhar no olho dele, porque não tínhamos nada com a confusão. Estávamos com um bebê, a minha mulher e a babá. Ele estava muito nervoso e jogou uma garrafa de cerveja que estourou. Cerca de sete ou oito pessoas estavam na confusão”.

O turista, que estava hospedado no 503, ao lado do quarto 502, onde os amigos de Kevin estavam hospedados, durante a tarde de domingo eles ouviram muito barulho de pessoas entrado e saindo da suíte vizinha, chegando a pedir para mudarem de quarto. Ele, no entanto, afirma que não escutou ninguém caindo ou pedindo socorro apenas o barulho da sirene. “Estávamos incomodados com o barulho e pedimos para mudar de quarto. Durante a tarde ouvimos muito barulho de porta abrindo e fechando e isso incomodou bastante”, disse.

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Artistas, Destaque, Nacional.

Apresentador André Marinho e Tomé Abduch trocam socos ao vivo em programa do “Pânico”

Uma notícia inusitada tem chamado a atenção dos internautas nesta terça-feira (11). Isso, porque o apresentador André Marinho e o comentarista político Tomé Abduch acabaram brigando e trocando socos durante o programa “Pânico”, na tarde desta segunda-feira (11).

A briga se iniciou após o apresentador provocar Tomé, enquanto ele falava sobre seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Abduch relatava uma conversa que teve com a deputada federal Joice Hasselman. “eu falei: ‘Joice, você escolheu seu lado. Você vai ter o bônus e o ônus por teu problema. Eu apoiei o presidente Jair Bolsonaro, siga teu caminho’. Aí colocam lá e vem um babaca aqui…”, quando foi interrompido por André.

“Valeu chorão, valeu chorão! Vai chora, chora por político”, alfinetou o apresentador, deixando o comentarista revoltado. “chorão é o c*ralho”, disparou Abduch, partido para cima de Marinho. Os dois trocaram chutes e socos em uma intensa pancadaria, que precisou de muitas pessoas para ser apartada, enquanto o “Pânico” foi para o intervalo. Vale lembrar que André é irmão de Giulia Be e filho do empresário Paulo Marinho, que foi um dos maiores apoiadores de Jair Bolsonaro em 2018 e, inclusive cedia sua mansão em prol da organização da campanha eleitoral do presidente.

Veja o vídeo

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Politica.

Vereador acaba preso após se envolver em briga generalizada envolvendo chefe da vigilância sanitária da cidade em frente a delegacia; o sanitarista tinha feito BO de ameaças do vereador

Uma notícia chamou a atenção dos internautas nesta manhã de segunda-feira (3). O vereador Wagner Donizete Pereira (PSDB), presidente da Câmara Municipal de Cajuru, município do interior de São Paulo, se envolveu em uma briga com o chefe da Vigilância Sanitária da cidade.

Uma entrevista ocorria na frente da delegacia da cidade, onde o Antônio Mandu, chefe da Vigilância Sanitária, foi fazer um boletim de ocorrência contra o vereador, por ameaças.

As imagens mostram o momento que ele é agredido por um dos amigos do vereador, que acompanhavam o parlamentar, e assim se inicia uma briga generalizada que envolveram o vereador, o funcionário da vigilância sanitária, o amigo do parlamentar e um professor da rede municipal.

Dessa forma, o vereador acabou preso após a confusão. De acordo com o delegado Gustavo André Alves, responsável pelo caso, Wagner Donizete deve responder por coação do curso do processo, infração sanitária e outros crimes.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.