Aos 2 anos, menina não resiste após morder cabo que estava na tomada carregando celular

Uma família viveu uma situação muito difícil e que está repercutindo amplamente nessa sexta-feira (27). Após o ocorrido, os perigos domésticos camuflados no dia a dia voltaram a ser discutidos nas redes.

Aos 2 anos, uma bebê morreu na última segunda-feira, na cidade de Ererê, no Ceará. Segundo o portal Potiguar, a menina teria mordido o fio de um carregador de celular que estava na tomada. Segundo informações preliminares, um celular estaria carregando e a criança colocou o fio na boca e mordeu, recebendo uma descarga elétrica logo em seguida.

Às pressas, na tentativa de salvar a criança, a família a levou para um hospital da cidade. Contudo, apesar dos grandes esforços, a situação era grave e ela teve várias paradas cardíacas, não resistindo. Numa nota de pesar, a prefeitura da cidade se solidarizou com a família. Nas redes sociais, muitas pessoas lamentaram o ocorrido e seguem falando sobre o assunto.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Pais acabam presos após bebê de 1 ano ser encontrada sem vida em casa

Uma situação complicada tomou conta das redes sociais nessa quarta-feira (7). Trata-se de uma jovem bebê que foi encontra sem vida dentro da própria casa.

De acordo com o portal Record, a menina de 1 ano e 2 meses foi achada sem vida dentro da casa da família na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais. Os agentes foram acionados pelo avô da bebê. Ao chegarem no local, os policiais encontraram a pequena já sem sinais vitais e com marcas de hematomas na região abdominal. Então eles foram atrás do pai, o principal suspeito na história.

Após fugir por algum tempo, o homem acabou preso na noite da última terça-feira (6) e ainda tentou resistir a prisão. Além disso, a mãe da bebê, de 28 anos, também acabou detida pelos policiais. Ela precisou prestar depoimento sobre o que aconteceu, pois também estaria na casa na hora das supostas agressões.

Contudo, ela afirmou que não estava presente e que também acredita que o marido seja o culpado. Ainda segundo o portal, um dos outros filhos do casal, de apenas 4 anos, teria afirmado que viu a irmã sendo agredida pelo pai e que também já apanhou do homem. Tanto o pai quanto a mãe têm antecedentes criminais. Mas não termina aí.

Em nota, a Policia Civil se pronunciou:

“Pelos levantamentos policiais realizados a vítima teria sido agredida com golpes que causaram lesões em várias partes do corpo. Os suspeitos negam a prática criminosa, mas são investigados por homicídio qualificado.”

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

Mais de 70 bebês nascem com anticorpos para a Covid-19 em Minas Gerais, aponta pesquisa

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) indica que mães que foram infectadas pelo novo coronavírus durante a gestação podem passar anticorpos para seus bebês por meio da transferência placentária. Os resultados ainda são preliminares.

Dentre mais de 500 mães e bebês testados, a pesquisa identificou a transferência de anticorpos IgG da mãe para o filho em mais de 70 casos. A UFMG tem como meta testar 4 mil mulheres.

O estudo aponta, ainda, que 40% das mulheres assintomáticas testadas conseguiram passar anticorpos para os fetos.

Para os resultados, os pesquisadores utilizaram o sangue coletado para o teste do pezinho nos recém-nascidos. A testagem das mães foi por punção digital, mesmo método utilizado no exame de glicose.

DOIS ANOS DE ACOMPANHAMENTO
Os casos positivos serão acompanhados por dois anos. Nesse período, será observado se a infecção durante a gestação teve consequências para o desenvolvimento das crianças. Outro objetivo é avaliar a duração da imunidade adquirida pelo feto.

A professora Cláudia Lindgren, do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, explica que os resultados do estudo podem conter respostas sobre uma futura vacinação de bebês, além de auxiliar na definição dos cuidados apropriados aos recém-nascidos.

A pesquisa está sendo desenvolvida com o apoio do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico (Nupad), Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG) e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Os casos identificados estão distribuídos nos cinco municípios mineiros participantes do estudo: Uberlândia, Contagem, Itabirito, Ipatinga e Nova Lima.

Os critérios para a escolha das cidades foram taxa de prevalência de Covid-19, número de nascimentos por mês e existência de rede capacitada para o caso de ser necessário suporte à reabilitação das crianças com alterações nos testes de neurodesenvolvimento.

Com informações e textos do Diário do Nordeste

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Bebê intubada com 80% dos pulmões comprometidos morre com Covid-19

Uma bebê de 5 meses foi internada após ficar com 80% do pulmão comprometido, em decorrência de complicações geradas pela Covid-19. Nessa quinta-feira (27), um dia antes de completar 6 meses de vida, Sarah Vitória Domingues veio a óbito. Ela havia sido transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular em Santos-SP, em 15 de maio. As informações são do Portal G1.

Em 10 de maio, Sarah e a mãe, Sameque Vitória Gois, de 22 anos, foram diagnosticadas com a Covid-19. Nesse mesmo dia, a criança foi internada e, posteriormente, passou a depender de doações de sangue para tratar de uma anemia profunda. Na época, a família pediu por ajuda nas redes sociais, e Sarah chegou a apresentar uma melhora, no entanto, a mãe relatou que a filha estava sofrendo muito nos últimos dias, após uma piora súbita do estado de saúde.

A menina chegou a passar por um procedimento cirúrgico de emergência para drenar o ar que que havia vasado dos pulmões para dentro do tórax, gerando uma complicação chamada de pneumotórax.

Às 4h30 dessa quinta-feira (27), Sarah sofreu uma parada cardíaca e veio a óbito. A bebê será sepultada em um cemitério de Santos, nesta sexta-feira, às 9h.

Após o falecimento da filha, Sameque fez um apelo para que mães e pais fiquem em casa com seus bebês, pois eles não estão imunes de serem infectados pelo vírus. Ela relatou que, durante a internação da filha, viu pessoas aglomerando em regiões próximas ao hospital e isso a deixava muito abalada.

Com textos e informações do portal Jornal de Brasília

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.