Bebê nascido de mãe portadora de covid 19 nasce com anticorpos protetores

O caso aconteceu em Singapura, onde a mãe da criança, Celine Ng-Chan, reside. Ela contraiu a infecção viral em meados de março, quando ainda estava grávida.

Segundo Ng-Chan, sua gravidez foi dramática. Em entrevista ao jornal The Straits Times a jovem diz ter se preocupado muito durante a sua gestação. Nesse contexto, Celine ficou internada 2 semanas e meia com sintomas leves da doença no Hospital Universitário Nacional de Singapura.

O médico responsável pela moça suspeita que ela transferiu os anticorpos para o bebê pela placenta. “O meu médico suspeita que transferi os meus anticorpos contra a covid-19 para o meu filho durante a gravidez”, disse Celine.

Apesar do susto, a criança nasceu saudável e sem sintomas da doença, além de estar, teoricamente, protegida da infecção.

Entretanto, o caso da jovem não é o primeiro caso de transferência de anticorpos na gravidez. O primeiro caso noticiado aconteceu no Hospital Universitário San Jorge de Huesca, na Espanha. Esses fatos intrigam os profissionais da saúde devido a possibilidade de infecção da criança ainda na barriga da mãe, como acontece no HIV por exemplo, o que ainda não é foi confirmado pelos cientistas.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Bebê nasce “grávida” e pais só acreditam depois da explicação médica: “Depois da cirurgia vai ter uma vida normal”

Nesta quinta-feira (19) a história do nascimento de uma bebê repercutiu por todo o mundo. Os pais ficaram assustados com um primeiro diagnóstico, mas o segundo foi mais surpreendente ainda, pois a bebê nasceu “grávida”. Todavia, como isso foi acontecer?

Esse tipo de caso clínico é raríssimo e sempre chama a atenção quando aparece. Ao contrário do que muitos mitos populares dizem, isso não tem nada a ver com a relação dos pais durante a gravidez. Na realidade, a bebê não está grávida como uma mulher adulta, mas ela tem sim um feto ligado a si. Trata-se de um caso conhecido como “feto no feto”. Isso acontece quando a mãe teria uma gravidez de gêmeos, mas um dos fetos acaba ficando preso internamente ao outro. No caso dessa bebê, o gêmeo dela não se desenvolveu e ficou preso a ela por um cordão umbilical, alimentando-se do fluxo sanguíneo do intestino da bebê maior. Contudo, isso não foi descoberto de primeira pela família.

A família da bebê, que vive na Colômbia, ficou assustada com o primeiro diagnóstico. Segundo a equipe médica, a bebê tinha um cisto ou um tumor na barriga. Entretanto, novos exames com outro médico revelaram que não era nada disso. A partir das novas imagens eles desvendaram que tratava-se de um gêmeo fetal preso na barriga da bebê. Então, por conta do risco, a forma escolhida para o parto foi a cesariana. O nascimento foi um sucesso, mas todos sabiam que outra cirurgia seria necessária em breve. Preocupados com o desenvolvimento da bebê, os médicos decidiram operá-la já no dia seguinte para retirar o gêmeo fetal. Novamente, tudo deu certo na operação. Agora, a pequena colombiana terá apenas uma cicatriz na barriga, vivendo uma vida saudável como uma bebê normal.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Para salvar bebê de incêndio, homem estoura grade de metal com as próprias mãos: “Herói”

Nesta quarta-feira (18), a história de um herói da vida real circulou por todo o Brasil. Ao ouvir o chamado de uma mãe desesperada, um senhor não pensou duas vezes e arriscou a própria vida para salvar um bebê. Mas afinal, o que aconteceu?

De acordo com o portal Globo, uma casa de família foi atingida por um incêndio na cidade de Araçatuba, interior de São Paulo. Em meio às chamas, a mãe saiu correndo com o filho mais velho, mas quando voltou para resgatar o bebê, a fumaça estava muito densa e ela não conseguiu adentrar. Desesperada, ela saiu pedindo por socorro nas ruas. Ainda segundo o portal, nessa hora Felício Alves, um vizinho da família, estava nas proximidades e correu para ajudá-la. Chegando no local, ele percebeu que a única opção para entrar na casa seria pela janela. Contudo, uma grade de proteção impedia que ele passasse por ali.

Então num momento de grande adrenalina, Felício usou toda a sua força para arrancar a grade com as próprias mãos. A grade de metal já estava aquecida pelo fogo, mas mesmo assim ele conseguiu estourar a estrutura e entrar no quarto. Como a fumaça estava muito escura, Felício usou o som do choro do bebê para se guiar e tirá-lo de lá. Depois disso, o homem entregou o filho a mãe, que pôde ficar mais aliviada. Entretanto, a criança teve grande parte do corpo queimada e recebeu assistência médica. Depois disso, ocorreu uma transferência para tratar o bebê num hospital especializado. Ainda não se sabe o que causou o incêndio.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.