Hospitais alemães estão sem capacidade de atender pacientes infectados com covid-19

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nesta quinta-feira (18).O hospital bávaro de Freising, sul da Alemanha, fez a transferência de um paciente infectado com a Covid-19 para outra unidade hospitalar localizada no norte da Itália, em razão de ausência de vagas na unidade de terapia intensiva local. Tal medida é inédita no país desde que a pandemia de coronavírus teve início.

Durante o período da pandemia, os hospitais alemães foram muito solicitados para atender e dá suporte a pacientes infectados oriundos de países europeus mais atingidos. Entretanto, com a nova onda de Covid-19, a Alemanha está vendo o seu sistema de saúde pedir ajuda. ‘‘Na semana passada tivemos que transferir um paciente para Merano (Itália), porque não tínhamos capacidade e os hospitais da Baviera ao redor também estavam lotados’’, conta Thomas Marx, diretor do hospital de Freising.

Fragilizada e com uma taxa de incidência de 550 infecções por 100 mil habitantes em apenas sete dias, Baviera tem sofrido bastante com esta nova onda de infecção.‘‘Estamos no limite de nossas capacidades’’, alerta Marx, preocupado. A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) local, tem atualmente 13 pacientes, “três a mais do que nossa capacidade normal”. Cinco dos pacientes têm covid-19, todos não imunizados.
Apesar dos hospitais da região estarem com a lotação dos leitos abaixo do número registrado no pico de contaminação no final de 2020, o problema agora se concentra na escassez de profissionais de saúde na unidade.
‘‘Não há um limite a partir do qual diremos que todo o sistema de saúde entrará em colapso’’, alerta Gerald Gass, presidente da associação alemã de hospitais.‘‘Mas já existem “sinais de alerta”, disse nesta semana ao jornal Handelsblatt, expondo problemas envolvendo hospitais na Baviera e Thüringe, região também bastante atingida.
Com relação ao hospital de Freising, Marx analisou “uma grande incompreensão” dos profissionais envolvidos diante da grandeza do problema que ele julgou “previsível e poderia ter sido evitado”.

A Alemanha está atrás entre os países da Europa Ocidental em números de vacinados contra a Covid-19, com uma taxa de 67,7% registrada.

O parlamento deve propôr um projeto de lei nesta quinta-feira (18), que traz restrições à população com o objetivo de diminuir as infecções diárias, entre 30 e 50 mil nesta semana. O projeto traz a volta do teletrabalho e a necessidade de passe sanitário para o transporte público, com foco nas pessoas que não se imunizaram. Em alguns locais, inclusive Berlim, o acesso a eventos culturais e restaurantes é proibido para que não tomou a vacina.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

publicidade