Solla pede permanência das agências do BB no interior da Bahia: “Terão que pegar quilômetros de estrada para sacar dinheiro”

Um desabafo tomou as manchetes desta segunda-feira (24). O deputado federal Jorge Solla (PT) não se calou diante do possível fechamento de dezenas de agências do Banco do Brasil na Bahia.

Nas redes sociais, Solla destacou que nos últimos 3 anos foram fechadas 127 agências do BB na Bahia. Além disso, Solla alertou o povo sobre como a vida do cidadão pode piorar se esses fechamentos continuarem, principalmente a vida do povo do interior:

“Para quem mora no interior, sabe o perrengue que é muitas vezes não ter sequer uma agência bancária no seu município. Ficam todos reféns de pegar quilômetros de estrada para sacar dinheiro.” Mas não é só isso.

Numa análise mais aprofundada, o deputado explicou como essas desativações podem afetar a economia local e os direitos do povo em várias esferas:

“Sofre o comércio, sofre a agricultura, sofrem os consumidores, sofre toda a economia. Inexiste crédito para investir, inexiste crédito pra moradia, inexiste crédito para o consumo. Mas Bolsonaro e o projeto de Guedes não se importam com essas pessoas. Como eram agências que davam pouco lucro, a decisão foi por fechá-las. Com Lula, vamos reabrir agências no interior da Bahia.” Completou.

As palavras do petista já chegaram a milhares de pessoas e estão mobilizando o povo para valorizar as Companhias nacionais. Uma internauta comentou:

“E é um banco que bate recorde de lucro a cada trimestre. É uma pena que os bancos públicos não avaliam como lucro o benefício social.
Tempos difíceis. Só em 2023 que isso mudará.”

Leia também o portal do nosso editor www.romulofontoura.com.br

Da Redação do Acontece na Bahia

 

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.

Após atritos com Bolsonaro, presidente do Banco do Brasil renuncia ao cargo

Um comunicado pegou o povo de surpresa nesta quinta-feira (18). Isso porque o presidente do Banco do Brasil, André Brandão, pediu renúncia do seu cargo.

A saída de Brandão veio a público num comunicado divulgado em nome da instituição. O fato ocorreu depois de algumas divergências recorrentes entre Brandão e o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. Após fechamento de agências do banco durante a pandemia e de programas de demissão voluntária, Brandão teria desagradado o presidente Bolsonaro. Por conta disso, sua saída era tida como um evento esperado, sendo apenas uma questão de tempo. Em comunicado, o BB afirmou:

“O Banco do Brasil (BB) comunica que o Sr. André Guilherme Brandão entregou, nesta data, ao Exmo. Sr. Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, ao Exmo. Ministro da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes, e ao Ilmo. Presidente do Conselho de Administração do Banco do Brasil, Hélio Lima Magalhães pedido de renúncia ao cargo de presidente do BB, com efeitos a partir de 01 de abril de 2021.”

Brandão tem mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro, passando por diversas instituições.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Nacional.