Funcionária acaba demitida após lutar com assaltante armado e vídeo repercutir nas redes

Uma notícia tem gerado muitos comentários nas redes sociais neste sábado (18). A funcionária da Subway, Araceli Sotelo, se tornou um dos assuntos mais discutidos nas redes sociais após ter sido surpreendida por um assaltante armado no interior da lanchonete em que trabalhava e ter lutado bravamente contra ele. A funcionária foi filmada por imagens de câmeras de monitoramento no dia 5 de setembro, enquanto trabalhava sozinha em uma filial em Illinois, nos Estados Unidos, e luta com o assaltante até o momento em que consegue desarmá-lo e usar a arma para bater no seu rosto.

“Ele meio que apenas me mostrou sua arma, e eu estava quase enlouquecendo”, contou Araceli ao canal local WTVO. “[Ele disse] ‘me entregue todo o dinheiro… passa tudo antes que eu te machuque’”, disse. Momento depois a funcionária conseguiu contra-atacar e prendeu o bandido com uma chave de braço.

‘‘Ele era menor do que eu, então eu tenho essa vantagem. Eu poderia pelo menos colocar meu peso sobre ele, empurrá-lo, ou algo assim”, contou. Enquanto os dois lutavam a arma do assaltante caiu e Araceli conseguiu segurá-la e a usou para golpeá-lo na cabeça.“Ele deixou [a arma] cair tentando segurar minha bolsa, e eu acabei tirando o moletom dele”, contou, e ainda disse que sua intenção era fazer com que ele mostrasse o rosto para as câmeras de segurança do local.

“Ele queria que eu devolvesse a arma e as roupas dele”, disse. No entanto, “eu apenas bati na cabeça dele com isso [a arma], [porque] era isso que ele estava fazendo comigo”, comentou. O assaltante conseguiu fugir da lanchonete com a bolsa de Araceli.

O vídeo do assalto registrado por câmeras de monitoramento foi postado no perfil pessoal de Araceli no TikTok e já tem mais de 10 milhões de visualizações. No entanto, um dia após compartilhar o conteúdo, Araceli disse que foi suspensa de suas atividades na empresa.

De acordo com Araceli, a suspensão só seria revertida caso conseguisse retirar todos os vídeos do assalto da internet.“Se todos esses vídeos não forem colocados offline, você será suspensa”, disse Sotelo à TV local.

“Eles disseram até que tudo seja removido da web. Eu não tenho capacidade para fazer isso”, contou, afirmando que apenas havia repostado um vídeo que já estava na internet.

Araceli contou que sua punição aconteceu porque seus chefes “não queriam que ninguém soubesse” que ela foi atacada enquanto estava sozinha. “Eles queriam manter a privacidade de que isso aconteceu comigo e que eu revidei”, disse ela, afirmando que foi demitida “porque não querem que a corporação saiba” o que houve no local.

Os internautas questionaram o fato da funcionária está sozinha no local.“Ela não deveria estar sozinha! Isso poderia ter terminado muito pior! A gerência devia ter ido ajudá-la se nenhum outro funcionário pudesse”, “e é por isso que eles não deveriam ter apenas uma pessoa trabalhando por vez, eu sinto muito que isso aconteceu com você”, comentaram alguns internautas.

A mãe de Araceli, Sylvia Oviedo, começou uma campanha para arrecadar recursos para apoiar a filha nesse momento difícil e para contratar um advogado. A campanha já arrecadou mais de US$ 15 mil.“Nada da loja foi roubado”. “O gerente dela agora a suspendeu do trabalho, deixando-a sem emprego depois que ela defendeu heroicamente a loja”, contou a mãe.

“Minha filha agora está com um telefone quebrado, sem identidade, sem cartão de débito e sem bolsa e [seu gerente] se recusa a compensá-la por disso”, questionou.

A Subway não confirmou a demissão de Araceli e se limitou a fazer um comunicado que estava “profundamente preocupada com o recente incidente em uma franquia em Rockford, Illinois”.

“O proprietário e a gerência do restaurante estão cooperando inteiramente com a investigação policial e pedimos paciência até que o processo seja concluído”, comunicou a empresa. Ao ser questionada novamente sobre a demissão de Araceli e por qual motivo, o porta-voz falou que “cada restaurante é de propriedade e operação independentes”.

“Estamos em contato com o franqueado para entender melhor a situação e ajudar quando necessário”, contou o porta-voz, se recusando a falar sobre a suspensão de Araceli. O caso está sendo investigado pela polícia e o vídeo foi registrado como prova.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Suspeito invade hospital, atira no segurança do prédio e faz duas enfermeiras reféns

Um caso continua chamando a atenção nesta terça-feira (27). Na noite da última segunda-feira, os moradores e profissionais da saúde viveram momentos de terror na cidade de Marituba, na localidade metropolitana de Belém. Pois um homem armado, teria invadido a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), atirado em um segurança e em seguida feito duas enfermeiras de reféns.

Segundo o portal UOL, havia muitas pessoas esperando por atendimento no hospital. Após a invasão, os pacientes saíram correndo, ocasionando tumulto. Os profissionais da saúde se trancaram em salas e em consultórios para tentarem se proteger. Já o suspeito teria sido atingido por tiro, que atingiu na perna. Mas mesmo assim, o homem demorou a se render, somente depois de duas horas e meia de muita conversa com os agentes, foi que ele desistiu e se entregou.

Ainda de acordo com o site, após as investigações dos policiais, foi verificado que antes de invadir o hospital, o invasor havia assaltado um posto de gasolina em uma cidade vizinha. E que ele não estava sozinho. Ele estaria com mais três indivíduos que teriam roubado um carro e feito o condutor de refém.

Após denúncias, a guarnição foi acionada e carro da polícia conseguiu seguir o grupo de assaltantes. “Recebemos informações da família do refém de que eles estavam seguindo no sentido Marituba”. Informou o tenente da PM Wanderley Santana.

Os agentes ainda relataram que, após horas de perseguição, eles conseguiram alcançar o carro roubado. Ao chegarem próximo a UPA, os homens liberam o refém. E três dos quatros indivíduos se renderam, restando apenas um, que fugiu para o hospital.

Ainda de acordo com os relatos, o fugitivo trocou tiros com os seguranças do hospital, sendo atingido na perna e em seguida, correu para dentro da UPA. O segurança do hospital foi atingido no peito mas o tiro acertou o seu colete.

A história não terminou por aí. depois de ser atingido na perna, o suspeito invadiu uma das salas e fez duas enfermeiras reféns, e de acordo com o tenente, ele só soltou as enfermeiras depois das 23h. “Ele só aceitou se entregar com a chegada da mãe e da imprensa”,contou o Santana.

O tenente informou que o assaltante, deve responder por porte de amar de fogo ilegal e cárcere privado, em relação as enfermeiras e o o motorista que foi feito refém. Além disso, deve também responder por tentativa de homicídio por ter atirado no guarda do hospital.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.