Justiça americana arquiva processo de bailarino que acusava Michael Jackson de abuso

Justiça americana arquiva processo de bailarino que acusava Michael Jackson de abuso sexual

Nesta terça-feira (27), uma história que já perdurava a muitos anos, chegou ao fim. Isso porque, a justiça americana arquivou o processo do bailarino Wade Robson. Ele acusava o cantor Michael Jackson de abuso sexual. 

Segundo o portal Bnews, o juiz de Los Angeles arquivou o processo, que além de acusar o cantor, teria denunciado as empresa MJJ Prductions e MJJ Ventures, por ter facilitado  os supostos crimes.

Ainda de acordo com o site, o coreógrafo havia processado o artista em 2013. Em sua denúncia, o bailarino afirmava que ele teria sido abusado sexualmente por quase 10 anos.

Entretanto o Juiz do Tribunal Superior do Condado de Los Angeles declarou que : “Não há nenhuma evidência que apoie a alegação de que os réus exerceram controle sobre Jackson. A evidência demonstra ainda que os réus não tinham capacidade legal para controlar Jackson, porque ele tinha propriedade total e completa dos réus corporativos”. disse.

“Sem controle, não há relação ou dever especial entre os réus e o requerente. Além disso, não há evidência de abuso por parte do réu”concluiu sua fala.

Apesar da decisão do juiz, Wade Robson, fez uma nova apelação, aproveitando uma lei da Califórnia, que prolongava o tempo em que um indivíduo pudesse entrar com uma acusação de agressão sexual contra pessoas de 26 para 40 anos.

“Wade Robson passou os últimos oito anos perseguindo reivindicações frívolas em diferentes ações judiciais contra o espólio de Michael Jackson e as empresas associadas a ele. Robson tomou quase três dúzias de depoimentos e inspecionou e apresentou centenas de milhares de documentos tentando provar suas alegações”, dando continuidade.

“Mas um juiz mais uma vez decidiu que as alegações de Robson não têm mérito algum, que nenhum julgamento é necessário e que seu último caso foi arquivado”. O advogado da defesa informou que irá recorrer a decisão.

“Esta decisão do juiz Mark A. Young sofre das mesmas falhas fatais que a decisão do juiz anterior Mitchell Beckloff, que pudemos anular na apelação. Por este motivo, iremos apelar ao Tribunal de Recurso e ao Supremo Tribunal, se necessário”, disse o advogado de Wade Robson.

“Se permitido, a decisão estabeleceria um precedente perigoso que deixaria milhares de crianças que trabalham na indústria do entretenimento vulneráveis ​​a abusos sexuais por pessoas em posições de poder. As crianças de nosso estado merecem proteção, e não vamos parar de lutar até garantir que todas as crianças estejam seguras”. concluiu.

Ainda de acordo com o portal, as acusações de Wade, aparecem no documentário “ “Leaving Neverland” (2019, HBO). Porém, a defesa do artista nega as acusações e já processou a HBO pelo documentário. Michael Jackson morreu em 2009.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Artistas, Destaque, Nacional.