Teixeira de Freitas: Gêmeas são aprovadas juntas em 30 faculdades públicas de Medicina

Uma proeza foi alcançada pelas irmãs gêmeas Samyra e Sarah Aramuni, moradoras de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia. As irmãs, que tiveram um desempenho abaixo do esperado no Enem de 2021, estabeleceram uma rotina diária de mais de 10 horas de estudo e conseguiram um resultado fora do comum. 

As gêmeas superaram o resultado ruim no Enem do ano passado, que fizeram após deixar o ensino médio, e surpreenderam a todos sendo aprovadas no curso de Medicina em mais de 30 faculdades públicas do Brasil.

Samyra e Sarah, de 19 anos, concluíram o ensino médio numa escola pública de Teixeira de Freitas. A recente conquista fez com que as gêmeas se tornassem o orgulho do município e ambas são um dos assuntos mais discutidos em vários pontos de bate-papo. Enquanto Samyra passou em segundo lugar, Sarah foi a terceira colocada no exame, o que possibilitou a oportunidade de escolha de algumas das faculdades mais importantes do país.

As duas jovens revelaram à Rede Bahia que já fizeram a sua escolha. Com isso, as gêmeas fizeram as malas e estão de mudança para o sudeste do país, para cursar Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), uma das mais prestigiadas universidades do Brasil. 

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Regional.

Aos 13 anos, estudante do Ceará é aprovado em 1º lugar no curso de direito em universidade do Rio

O adolescente Caio Temponi, de 13 anos, conseguiu a proeza de ser aprovado em primeiro lugar em direito na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Ainda tão novo na idade, o jovem que já tem muito conhecimento, soube da conquista nessa terça-feira (22), com o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Apesar de viverem no ceará, Caio e a família são naturais de Três Rios (RJ). Além da recente aprovação na universidade, o estudante é medalhista de ouro em olimpíada de matemática e dono de um canal no YouTube em que ajuda outros estudantes. O jovem também já alcançou aprovação no vestibular da Universidade Estadual do Ceará (Uece) em 2021, para o curso de administração.

A mãe de Caio, Laurismara Temponi, disse que em 2020, o filho também passou em primeiro lugar no exame da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar), em Barbacena (MG). Na época, o rapaz conseguiu acertar todas as questões, se tornando o estudante mais novo a passar no concurso da Epcar.

Caio tem uma permissão para fazer um teste para adiantar os estudos e concluir o ensino médio para cursar a faculdade, entretanto, a mãe diz que a família acha melhor não pular etapas. Segundo ela, o filho vai tentar novamente entrar no ensino superior no ano que vem, quando ele vai concluir o 3º ano do ensino médio.

“No momento não é isso que a gente quer, que ele pule etapas. Esse também é um pensamento dele, mesmo sendo o curso que ele tanto desejou. Mas vamos deixar ele curtir os amigos, a adolescência dele, participar e vivenciar a escola. A vontade é grande sim, que ele vá, mas no momento o pensamento é que ele continue estudando o ensino médio e faça Enem no final do ano novamente. E decidir o que vamos fazer em caso de uma nova aprovação”, afirmou.

Laurismara explica que Caio não teve uma preparação exclusiva para o Enem, em razão de está em uma turma de estudos do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). O jovem usou esses conhecimentos para realizar o exame.

“A turma do ITA da qual ele participa é muito focada nas ciências exatas. Lá não tem sociologia, biologia, história, geografia, só tem exatas como a matemática, que ele não fechou (acertou toda a prova) só por causa de uma única questão. As outras matérias ele se deu bem pelo conhecimento dele mesmo. A nota da redação também ajudou bastante, já que ele tirou 940”, afirmou.

Caio alia a rotina de estudos com disciplina ao prazer de brincar. “Ele vai ao colégio à tarde e retorna à noite. Pela manhã ele vê aulas de olímpiadas de física e matemática. Essas aulas das olimpíadas não acontecem todos os dias. Fora isso ainda estuda inglês pela manhã e revê conteúdos também, Meu marido estuda com ele pela manhã, o acompanha e isso ajuda muito”, disse Laurismara. A mãe revela que desde os cinco anos o filho fala em ser juiz federal. Foi sugerido pelos pais que Caio cursasse medicina, contudo, o gosto pelo direito falou mais alto.

“Não tem ninguém na família que seja da área do direito, não tem advogado, nem juiz. Não sei se foi na época da operação lava jato que ele acompanhava na TV e acabou se interessando pela profissão. Se é o que ele quer, a gente vai respeitar. É a escolha dele”, concluiu.

Eu quero ser juiz federal. Eu não decidi ainda o estado em que vou fazer a prova. Talvez na Universidade de São Paulo (USP) ou por aqui mesmo em Fortaleza. Mas, o que eu quero mesmo é fazer direito”, afirmou Caio ao portal G1.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Jovem de 18 anos morre por Covid-19 dias depois de ser aprovado no curso dos sonhos

Uma triste notícia está sendo destaque nesta sexta-feira (23). O jovem Mateus Macedo, de apenas 18 anos, morreu por complicações da Covid-19, na madrugada de ontem, na Paraíba. Ele estava internado há 82 dias tentando tratar a doença.

Segundo testemunho dos familiares, Mateus saía apenas para o cursinho preparatório do Enem e tinha sobrepeso. Com uma nota média de mais de 740 pontos, ela chegou a ser aprovado em Ciências da Computação pelo Sisu na última sexta-feira (16), mas faleceu antes de saber da notícia.

Durante o seu tratamento, ele precisou passar pelo processo de Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO), que é um pulmão artificial. Por ser um jovem bastante caseiro, como dizia a família, acredita-se que ele tenha sido contaminado durante as idas ao cursinho. O irmão de Mateus também realizou o Enem e foi aprovado para o mesmo curso. Caso estivesse vivo, os dois estudariam na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Segundo o tio de Mateus, eles não esperavam que a doença fosse tirar deles uma pessoa tão jovem.

“No início a gente imaginava ser uma doença que pegava as pessoas idosas ou mais fragilizadas. Agora a gente vê que a doença não escolhe mais ninguém. Meu sobrinho suportou esse tempo todo de UTI porque ele teve uma assistência médica muito boa. A doença foi tão violenta com Mateus que ele não resistiu”, disse o tio.

“Precisamos alertar principalmente os jovens, que podem não estar preocupados. Eles correm o risco quando não usam máscara, quando aglomeram. Mateus se cuidava. Os pais estavam sempre reservados e orientando os filhos sobre os cuidados. Sobre a necessidade de ficar em casa”, finalizou.

 

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Filha de cobrador de ônibus e diarista é aprovada em medicina na Unicamp, USP e outras três universidades

Uma boa notícia está sendo destaque neste terça-feira (30). A estudante Monaliza Ávila, de 21 anos, filha de uma de diarista e cobrador de ônibus é aprovada em medicina na USP e Unicamp. Monaliza estudou por quatro anos em um cursinho e durante o colegiado, estudou sempre em escola pública.

De acordo com o G1, a estudante escolheu o curso de medicina após uma visita às dependências de uma faculdade. “Fui descobrindo que aquele seria um caminho em que eu me sentiria realizada e poderia aprender mais sobre o ser humano e devolver isso de forma direta para a sociedade”, disse Monaliza.

Ao se formar no ensino médio, a estudante conseguiu uma bolsa de estudos em um cursinho preparatório de vestibular, especifico para medicina. “Minha rotina de estudos no cursinho era das 7h às 21h de segunda a sexta, e no sábado tinha aula de manhã. Também fazia simulados em alguns finais de semana, e eu ia em praticamente todos”, afirmou.

Mas aprovações não vieram somente agora. Com três anos de cursinho, Monaliza já tinha sido aprovada no curso na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e na Universidade Federal da Bahia (UFBA), mas seu objetivo mesmo era a Unicamp.

A aprovação em medicina veio este ano. Após realizar a prova da Unicamp e ser aprovada numa concorrência de 308 candidatos por vaga, ela agradeceu aos pais. “Apesar do pouco estudo, meus pais sempre tiveram a consciência da importância dele tanto para mim, quanto para o meu irmão e sempre nos incentivaram desde os primeiros anos na escola”.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional, Regional.