“Mais de 10 mulheres acreditaram”: Delegado localiza homem que dava “golpe do amor” e usava de cargos importantes para enganar moças

Mais de 10 mulheres teriam caído nas conversas dele. O delegado que cuida do caso relatou que ele se passava por muitos cargos importantes para conquistá-las

Um homem teria aplicado o “golpe do amor” em mais de dez mulheres, inclusive conseguindo lucrar financeiramente com isso; De acordo com a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), o homem foi identificado como Lamartine Reis de Castro Uchôa Cavalcanti tinha uma tinha uma estratégia. Para se aproximar das mulheres e demonstrar-se como um homem de valor, ele já havia se passado por capelão, guarda municipal, assessor de uma juíza, e até mesmo diplomata. Além disso, ele também cobraria dinheiro para realizar falsos casamentos e se passava por autoridade eclesiástica influente no meio judiciário. Mas não termina aí, pois o delegado Joel Venâncio, que está cuidando do caso, relatou o seguinte:

“Ora era sobrinho de um arcebispo, ora que era oficial de justiça. Ele produzia documentos falsos para quebrar a resistência das vítimas e ele poder dar o golpe. Ele tinha um golpe também que solicitava doações para uma filha que estaria doente e depois pedia dinheiro pra fazer o translado dela. Mas era tudo falso. Ela tem uma filha, mas ela tem saúde. Uma das vítimas recebeu diversas informações pelas redes sociais e trouxe até nós. Através dessas informações, conseguimos localizar o endereço onde ele estava escondido e tomamos conhecimento de que ele estava de posse de vários documentos falsos.”

O acusado não tem antecedentes criminais, mas costumava usar outros nomes. Preso em flagrante com documentos falsos, o homem foi encaminhado até a Delegacia de Olinda e deve passar por uma audiência de custódia. As autoridades seguem apurando o caso.

Da Redação do Acontece na Bahia

 

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.

“Trisal” oficializa relação e constituem família juntos: ” Muita gente acha que é bagunça e pede para sair conosco”

Um casal, ou melhor, um trisal segue dando o que falar nesta terça-feira (2). Depois de oficializarem a relação sem medo do que os outros iriam pensar, eles vivem juntos, enfrentam questões familiares e também têm um filho.

Casados há 12 anos, Sanny e Diego tiveram o filho Miguel juntos, que hoje está com 5 anos. Diego sempre soube que Sanny era bissexual e isso ajudou o casal a incluir mais uma pessoa na relação em 2019. Depois de algum tempo de busca, eles conheceram Karina, de 25 anos, e deixaram claro que queriam mais uma pessoa para construir uma relação e uma vida. Contudo, algumas pessoas ainda atêm dificuldade de entender e aceitar a relação entre eles.

Por serem um trisal, eles recebem propostas de pessoas que acham que podem entrar na relação e participar. Contudo, os três vivem um relacionamento fechado, ou seja, apenas entre os três. Sanny contou como a família reagiu depois que eles assumiram o trisal:

“A maior dúvida é como nos dividimos e sempre explicamos que o nosso relacionamento é em triângulo, então todos se relacionam com todos. Muita gente acredita que por ser um relacionamento poliamorista é bagunça, então muita gente pede para entrar, para sair conosco. A nossa missão é explicar paras as pessoas que existem várias formas diferentes de amar, trabalhamos juntos, temos um casamento de trisal, mas fechado, e esperamos aumentar a nossa família em breve”, inciou. Ela também falou sobre a reação dos pais:

“O meu pai não fala comigo depois que a gente assumiu o relacionamento, o pai da Karina também não fala com ela, dentre várias outras pessoas da família dela. A família do Diego aceitou um pouco melhor, mas algumas se afastaram. Meu relacionamento com o meu pai estamos reatando aos poucos, com o pai da Karina ainda não. Tratamos isso com terapia, né? Entendemos que às vezes os pais não querem o mesmo que nós, mas que a vida é nossa e cabe a nós decidirmos sobre isso, damos as mãos e vamos juntos, nos blindamos muito do preconceito.”

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.