Após 10 dias de desaparecimento, amigas são encontradas sem vida e autoridades falam sobre “queima-de-arquivo”

Uma procura chegou ao fim de forma difícil. Nesta terça-feira (23) chegou ao povo o paradeiro das duas jovens que estavam desaparecidas desde o último dia 10.

Gislane Silva Mendes, de 21 anos, conhecida por “Baiana” e Juliana Marques Bezerra, de 14 anos, conhecida por “Galega”, geraram grande preocupação com o seus desaparecimentos. Então, na última segunda-feira (22), o mistério foi resolvido, mas não teve um final feliz. Uma denúncia anônima relatou que as jovens estariam numa área de mata atlântica no município de Bom Conselho, no estado de Pernambuco.

Após isso, as autoridades coordenaram uma ação conjunta. Tanto a Polícia quanto os Bombeiros foram até o local para apurar a denúncia. Chegando lá, a equipe realizou escavações e localizaram os corpos das duas jovens, que já estavam em acelerado estado de composição. Além disso, informações preliminares dão conta de que ainda era possível observar marcas de cortes, feitas por algum objeto relativamente grande, em ambas. Mas não termina aí.

De acordo com o portal Blog do Didi Galvão, três suspeitos já foram identificados três suspeitos da barbárie, sendo um deles um suposto ex-namorado de Gislane. Esse último já está preso e sob a disposição da justiça. Ainda segundo o portal, uma das jovens, a “Baiana”, teria sido morta por “queima-de-arquivo”, pois saberia de crimes realizados por dois dos suspeitos supracitados. Um desses crimes teria repercutido muito na região, pois se trataria da morte de um jovem que segue em investigação. Além disso, a jovem de apelido “Galega” teria morrido simplesmente por estar junto com a “Baiana”, para evitar que ela denunciasse a morte da amiga que já estava “marcada”.

Da Redação do Acontece na Bahia.

 

Tag(s): .

Categoria(s): Nacional.