Secretário de Saúde afirma que a Bahia passa por segunda onda de infecção e que o estado atual é mais alarmante que no auge da pandemia

Segundo o secretário de Saúde Fábio Vilas-Boas, a Bahia está passando por uma nova crescente dos casos de covid-19. De acordo com o secretário o estado passa por uma segunda onda de contaminação, que é ainda pior que os meses de pico da doença, em junho e junho, em que o estado alcançou o pico em números de casos.

Vilas-Boas disse em entrevista para TV Bahia: “Nós já estamos completando três semanas sucessivas de crescimento continuo. É possível falar de uma segunda onda e num cenário mais grave do que tivemos no pico da pandemia, o que equivale ao mês de junho de 2020. Naquela época nos tínhamos um revezamento de surtos, na capital e no interior. Nesse momento nós temos um surto geral, um aumento geral em todas as regiões da Bahia, com taxa de internação muito superiores do que tivemos no início do ano”

O crescimento do número de casos no mês de novembro pode estar relacionado com as aglomerações ocorridas no período de eleição. Ademais, a flexibilização nos cuidados individuais como a utilização de máscaras e o distanciamento social também tem participação na culpa.

Ontem (2), a Sesab emitiu um boletim que demonstrava que 3.228 casos de Covid-19 foram registrados nas últimas 24 horas. Assim, o numero de pessoas com a doença ativa na Bahia é de 11.771, a maior marca nos últimos 3 meses. Além disso, 71% das Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão atualmente ocupadas no estado.

Da redação Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Ocupação de leitos de UTI após eleições é preocupante. Seis estados apresentam mais de 80% de ocupação

Na primeira semana de dezembro o país se depara com uma situação alarmante. Os casos de covid-19 voltam a subir após as aglomerações decorrentes das eleições. Dessa forma, os leitos das unidades de terapia intensiva, cujo tem papel essenciais para salvar vidas de pacientes em estado grave, estão quase lotados.

Segundo o portal Metrópoles, os seis estados com grande ocupação de leitos são: Santa Catarina (com 85% dos leitos de UTI ocupados); Paraná (84%); Pernambuco (84%); Espírito Santo (82%); Rio de Janeiro (81%); e Rio Grande do Sul (80%). A região Sul do país é a mais alerta, com 3 desses 6 estados.

Nesse contexto, o número de mortes decorrentes da infecção voltou a crescer em todo país. Assim, profissionais e especialistas temem que o Brasil possa estar entrando na dita “segunda onda” da infecção. Grande parte desses números crescentes são devidos a grande flexibilização e a recusa de parcela da população em tomar cuidados básicos como o uso de máscara e o distanciamento social. Tal aumento das mortes preocupa as autoridades que falam de outra possível quarentena se os casos continuarem a subir.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.