Em situação caótica no estado, Governador do Acre afirma estar vivendo “3ª Guerra Mundial” com enchente, covid e dengue

Uma notícia estampou as manchetes e chamou a atenção dos internautas nesta manhã de segunda-feira (22). O governador do Acre, Gladson Cameli (PP) comentou a situação do estado e comparou com o estado de guerra. O comentário do governador se deve ao combate simultâneo contra enchentes, a pandemia de covid-19 e um surto de dengue.

“A questão das cheias — uma das piores nos últimos anos —, dengue, covid-19, e imigrantes na fronteira do Brasil… Temos ainda o Peru e a Bolívia, a questão dos haitianos [cerca de 200 famílias querem passar, mas os países não abrem fronteiras]. E isso me causa uma preocupação. É uma situação delicadíssima porque eu preciso proteger a população. E, com tudo o que está acontecendo, eu vou te dizer que vivemos uma terceira guerra mundial”, afirmou o governador em entrevista.

O estado ainda passa por um momento complicadíssimo em relação ao combate do coronavírus. O número de internações vem em crescimento constante nos últimos dias. Atualmente 92% dos hospitais do Acre dependem do SUS (Sistema Único de Saúde).

“O que estamos vivenciando aqui é, realmente, uma situação de calamidade humanitária. São vários problemas em uma hora só.”, conta o governador.

As enchentes no estado já atingiram cerca de 120 mil pessoas no estado. As estimativas são que mais de 32 mil famílias tenham sido atingidas. Dentre essas, 4.400 estão desalojadas e 2.027, desabrigadas. Os dados foram divulgados pelo Corpo de Bombeiros.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , , , .

Categoria(s): Destaque.

Incêndio mata três crianças após serem trancadas em casa pela mãe que saiu para o Bar

Uma tragédia circulou nas redes na manhã dessa segunda-feira. Um incêndio matou três crianças carbonizadas no bairro Portal da Amazônia, em Rio Branco, no Acre. Assim, três irmão faleceu dentro da casa em chamas após a sua mãe sair para o Bar e deixa-los trancados dentro de casa. O fato ocorreu na noite de sábado (19).

As vítimas da tragedia são o pequeno Caio Evangelista Monteiro, de 2 anos, Diogo Evangelista Monteiro, de 4 anos e a bebê Vitoria Sofia, de 8 meses.

A mãe das crianças Jociane Evangelista Monteiro foi autuada e levada para delegacia. Assim, os polícias liberaram Jociane após uma audiência de custodia ocorrida na tarde de domingo (20). Contudo, ela responderá por abandono de incapaz.

A Justiça ainda investiga as causas do incêndio, porém, a suspeita é que um curto circuito no ventilador teria começado as chamas. Porém, é necessário a pericia para confirmar tal causa.

A casa que as crianças estavam era pequena e de madeira. Quando as chamas começaram, os vizinho correram para tentar tirar as crianças de dentro da casa. Mas, a casa estava trancada com o cadeado e a dona da casa havia saído para um bar.

O corpo de bombeiros foi acionado por volta das 22h20, mas, ao chegar ao local não havia muito o que eles pudessem fazer. Os bombeiros apenas controlaram as chamas que já tinham tomado totalmente a pequena casa para que o fogo não alcançasse as casa vizinhas.

Da redação Acontece na Bahia.

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.