Search
Close this search box.

Rodoviários farão greve de ônibus por tempo indeterminado no próximo dia 29

O Sindicato dos Rodoviários anunciou uma greve geral por tempo indeterminado em toda a frota de ônibus da Bahia. A paralisação, que começa em 29 de maio de 2024, afetará os transportes coletivos urbanos, intermunicipais, de fretamento, locadoras e turismo.

De acordo com o sindicato, a greve foi motivada pela falta de acordo na campanha salarial, após mais de 12 reuniões sem sucesso. “Durante essas 12 assembleias, eles fizeram várias contrapropostas, mas a proposta toda é de tirar direito dos trabalhadores. Propuseram não colocar cobrador para trabalhar final de semana, tiveram proposta de aumentar a quantidade de horas de jornada de contrato parcial e muitas outras, mas tudo proposta contra a pauta da gente e ações de retrocesso, de reduzir direitos e armadilha de tirar os cobradores. Nós reduzimos a nossa pauta em 50%. De 44 itens, colocamos 22 itens para tentar fazer uma margem de negociação e afunilar para ver quantos itens vai ficar, mas a questão salarial é uma das coisas que a gente não abre mão”, explicou o presidente do sindicato, Hélio Ferreira.

Uma audiência de conciliação está marcada para a segunda-feira, 27 de maio, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na tentativa de evitar a greve. Caso a paralisação ocorra, mais de 3 milhões de passageiros por dia serão afetados, causando prejuízos ao comércio, indústrias e repartições públicas.

Impacto no transporte com a possível greve:

1. Transporte Urbano de Salvador: 1.650 ônibus (8.250 rodoviários)

2. Transporte Intermunicipal: 902 ônibus (2.706 rodoviários)

3. Transporte Metropolitano: 395 ônibus (1.975 rodoviários)

4. Transporte de Fretamento, Turismo e Escolar: 2.000 ônibus (2.000 rodoviários)

5. Transporte Urbano de Feira de Santana: 300 ônibus (900 rodoviários)

“É imprescindível a luta de todos nesse momento, pois podemos ter Sindicatos diferentes, mas a categoria é uma somente quando se trata de salários e de benefícios”, declarou o presidente do sindicato dos rodoviários metropolitanos, Mário Cléber, que aderiu à greve unificada.

Foto: Reprodução

Da redação do Acontece na Bahia