Repórter feita refém na sede da Globo fala sobre o ocorrido: ‘Tive fé’

Nesta quinta-feira (11), a repórter Marina Araújo, que foi mantida refém por um homem que invadiu o prédio da Globo, usou seu perfil do Instagram para falar sobre a experiência.

O homem estava armado com uma faca quando invadiu os estúdios da emissora Globo, localizado no Rio de Janeiro, na última quarta-feira (10), e fez a repórter de refém. O criminoso exigia ter acesso à jornalista Renata Vasconcellos, âncora do Jornal Nacional. Momentos depois, ele liberou a Marina Araújo e foi preso pela polícia.

A repórter relembrou o momento de tensão vivido naquela tarde de quarta-feira e aproveitou para agradecer às mensagens de apoio.

“Agradeço imensamente pelas mensagens de solidariedade e carinho, depois do episódio de hoje. Me vi em uma situação limite, incontrolável, mas tentei manter a calma. Tive fé. Falei o que podia pra acalmar os ânimos. Contei histórias e deu certo. Agradeço ao coronel Heitor e à Renata… E todos que ficaram do meu lado até eu vir para casa hoje”, disse a repórter.

Da Redação.

Categoria(s): Social.

Comente: