Redação “nota mil” no Enem 2023 vira caso de polícia e acende alerta

A polêmica envolvendo o candidato pernambucano que alegou ter obtido nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 veio a ser caso de investigação policial. Na última sexta-feira (19/1), a Polícia Civil de Pernambuco anunciou a abertura de um inquérito para investigar o ocorrido, indicando que o caso ocorreu no dia 17 de janeiro, no bairro do Viradouro, em Escada, sem fornecer detalhes específicos até o momento.

A corporação afirmou por meio de nota que as diligências já foram iniciadas e prosseguirão até a completa elucidação do caso. O epicentro dessa confusão é Escada, onde reside o estudante Igor Kleyverson da Silva, de 23 anos, que inicialmente se destacava como um dos 60 candidatos nota mil em todo o país. Entretanto, após a divulgação, na quarta-feira (17/1), foi revelado que a nota registrada na página do participante do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) era, na verdade, 680.

Diante dessa reviravolta, Igor perdeu o status de um dos dois pernambucanos com a pontuação máxima na redação do Enem, sendo a outra a professora Lilían Carvalho. Até a última atualização desta matéria, nenhum outro estudante veio a público afirmar que obteve nota mil na redação do Enem de 2023.

A Polícia Federal, ao ser contatada, esclareceu que o caso está sob investigação da Polícia Civil. Igor, residente em Escada e ex-aluno do curso preparatório Fábrica Concurso, levantou a hipótese de ter sido vítima de um hacker ou de um erro no sistema do Inep, relatando a situação em um vídeo no Instagram na noite da quarta-feira.

O Inep, por meio de nota, esclareceu que a base de dados com os resultados das redações do Enem 2023 permaneceu a mesma desde a publicação no ambiente de administrador da Página de Participante, ocorrida em 15 de janeiro de 2024, para a divulgação realizada no dia seguinte. Igor Kleyverson apresentou capturas de tela das notas antes e depois da suposta alteração, evidenciando não apenas a discrepância na nota da redação, mas também nas áreas de conhecimento Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática.

Após a possível descoberta de que Igor não teria alcançado a nota mil, o diretor do curso preparatório retirou as postagens em homenagem ao estudante. Em nota, o Fábrica Concursos afirmou estar aguardando as apurações e, caso qualquer fato contrário à lei seja comprovado, tomará as medidas cabíveis. O curso destacou o resultado positivo nas redações, com mais de 45 notas acima de 800 pontos, e afirmou que qualquer retratação será feita mediante ordem superior, garantindo agir corretamente, dentro da lei, com credibilidade e seriedade.

Questionado sobre os métodos de segurança futuros, o curso informou que utilizará o acesso do aluno para evitar possíveis erros, considerando que anteriormente os estudantes enviavam apenas uma foto das notas.

Da redação do Acontece na Bahia

Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal