Primeira morte por síndrome rara ligada à covid-19 é registrada na Bahia; vítima tinha 9 anos

Um menino de nove anos foi a primeira vítima fatal na Bahia após desenvolver a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P).

O garoto morava em Salvador e teve a síndrome confirmada em exame. Segundo o jornal Correio 24h, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab-BA) informou que 14 crianças e adolescentes, com idades entre 2 e 16 anos, já desenvolveram a doença na Bahia até quarta-feira (26).

Além do menino que faleceu, três pacientes ainda estão internados e 10 tiveram alta.

E, além da primeira morte pela síndrome, Salvador também conta com o maior número de casos confirmados da doença, com oito ocorrências. Camaçari tem duas pessoas com a síndrome e as cidades de Madre de Deus, São Sebastião do Passé, Candeias e Santo Antônio de Jesus têm um doente cada.

Dos pacientes, com a doença, 11 tiveram diagnóstico confirmado anteriormente para covid-19 e três tiveram apenas contato com uma pessoa infectada.

Apesar de 14 pessoas terem sido diagnosticadas com a doença, no total 19 apresentaram os sintomas. Dois deles também foram confirmados para a rara Síndrome de Kawasaki, que apresenta quadro parecido com a SIM-P.

Os sintomas mais comuns da síndrome são dificuldade para respirar, prostração, convulsão, desidratação e muito tempo sem se alimentar ou urinar. Eles podem aparecer entre uma a duas semanas após a infecção por covid-19 e é possível que se trate de uma resposta imune descontrolada e é capaz de desbalancear as funções orgânicas do corpo.

Ainda de acordo com o jornal, o Ministério da Saúde delimitou, em nota técnica, a faixa etária de contaminação pela doença até os 19 anos. Apesar da descoberta da síndrome, ainda não há confirmação sobre a incidência na população

Categoria(s): Destaque.

Comente: