Primeira dama de São Paulo fala sobre moradores de rua: ‘Gostam de ficar na rua”

A esposa do governador de São Paulo João Doria (PSDB), Bia Doria , deu uma declaração polêmica ao dizer que não se deve doar marmitas para moradores de rua porque “as pessoas gostam de ficar na rua” e elas “têm que se conscientizar e sair dessa situação”.

Ela deu a afirmação durante uma entrevista à socialite Val Marchiori, gravado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual. Na conversa, a primeira dama do estado, que é presidente do Conselho do Fundo Social de São Paulo e está à frente do Fundo Social de Solidariedade com projetos como Alimento Solidário e Inverno Solidário, citou uma pesquisa da Prefeitura de janeiro deste ano em que revelou que a população de rua cresceu 53% nos últimos quatro anos, chegando a 24 mil pessoas. Ao lembrar, ela afirma que este número é  “muito grande”. 

Bia Doria publicou nota em suas redes sociais:

Em relação aos comentários sobre pessoas em situação de rua, a presidente do Conselho do Fundo Social de São Paulo, Bia Doria, esclarece que sua fala foi tirada do contexto e enfatiza que a sua intenção é que as pessoas em situação de rua tenham acesso aos abrigos públicos, onde terão alimentação de qualidade dentro das normas de higiene da Vigilância Sanitária, e uma condição de vida mais digna. Ou mesmo nos Restaurantes Bom Prato, que recentemente decretaram gratuidade aos moradores de rua.

À frente do Fundo Social de Solidariedade, Bia Doria desenvolve uma série de ações em benefício dos mais necessitados, participando ativamente na execução das ações em campo, como a campanha Inverno Solidário, que já distribuiu milhares de cobertores, e a distribuição de cestas básicas em comunidades carentes. 

Categoria(s): Nacional.

Comente: