População se revolta e impede enterro do acusado de matar Emanuelle

Um grande alvoroço tomou conta do enterro de Aguinaldo Guilherme Assunção.O homem de 49 anos era acusado de assassinar a pequena Emanuelle Pestana de Castro, de 8 anos. Nesta quarta-feira, 15 de janeiro, os moradores de Chavantes fecharam os portões do cemitério com o objetivo de impedir o sepultamento de Aguinaldo.

A população estava revoltada com a crueldade do crime e se manifestou em peso na frente do cemitério.Formou-se uma grande confusão e o cadeado do portão foi fechado.Muitos gritos de indignação e xingamentos tomaram conta do ambiente e a família do acusado acabou tendo que optar por enterrá-lo noutra cidade.O corpo retornou ao IML.

Entenda o caso:

Emanuelle desapareceu enquanto brincava numa praça no município de Chavantes, interior paulista.A garota foi morta com 13 facadas e seu corpo foi encontrado numa região de mata próxima a um córrego.

A polícia chegou até Aguinaldo a partir de imagens de câmeras posicionadas na região onde menina brincava. Posteriormente o acusado confessou o crime.A morte da pequena Emanuelle causou comoção não apenas na população de Chavantes, mas também no Brasil inteiro.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Regional.

Comente: