Policial penal desaparecido há mais de um mês é achado sem vida em área rural

O agente penitenciário José Françualdo Leite Nobrega, natural de Goiás e em destaque na foto, que estava desaparecido por mais de um mês, foi encontrado sem vida no último sábado (6/1) em uma área rural de Cocalzinho (GO).

Três indivíduos foram detidos, enquanto um está em fuga. Dois dos detidos eram funcionários na loja de aluguel de materiais de construção pertencente ao policial penal. Manelito Lima Júnior, identificado como responsável pela parte financeira do estabelecimento gerenciado por Françualdo, estava entre os presos.

Outro suspeito ligado à execução do servidor da segurança pública foi identificado como Daniel Amorim Rosa de Oliveira.

Maxsuell Miranda das Neves, presidente do Sindicato dos Policiais Penais de Goiás, expressou pesar diante da notícia. “A categoria está de luto pela perda de nosso colega. Françualdo era um profissional exemplar e muito estimado pela tropa. O que ocorreu foi uma crueldade imensa, pois ele proporcionou empregos a algumas pessoas e acabou sendo covardemente assassinado por elas”.

O servidor estava desaparecido desde 27 de novembro de 2023, conforme confirmado por familiares do policial.

José Françualdo, residente em Águas Lindas (GO), desempenhava suas funções no presídio de Santo Antônio do Descoberto (GO), nas proximidades do Distrito Federal.

Veja o desenrolar dos eventos:

Antes do desaparecimento, o policial mencionou ao irmão que iria ao Distrito Federal buscar R$ 40 mil.

A última aparição do servidor público diante de familiares ocorreu na tarde de segunda-feira (29/11).

Na terça-feira (28/11), José Françualdo dirigiu-se à capital federal.

O último contato por meio de mensagens via WhatsApp aconteceu na tarde do dia 28/11.

Por volta das 18h51, câmeras de segurança na DF-130, sentido Rajadinha, em Planaltina (GO), registraram o veículo do policial.

Horas depois, o veículo foi encontrado carbonizado na área do Núcleo Rural Três Conquistas, no Paranoá (DF).

Na quarta-feira (29/11), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) confirmou que se tratava da caminhonete do servidor público.

Além de policial, José Françualdo, conhecido como Aldo, também era empresário.

Em 2021, ele inaugurou uma empresa de locação de equipamentos de construção em Águas Lindas (GO), também nas proximidades do Distrito Federal.

Da redação do Acontece na Bahia