Polícia diz que homem que transportava droga foi vítima de emboscada ao ser assassinado com esposa e filha em canavial

A família residente em Olímpia (SP), encontrada sem vida em um canavial com evidências de execução, foi alvo de uma emboscada, de acordo com informações da Polícia Civil. O trágico triplo homicídio foi revelado em 1º de janeiro, na cidade de Votuporanga, interior de São Paulo, após o desaparecimento do casal e da filha em 28 de dezembro do ano anterior. Até o momento desta reportagem, nenhum suspeito havia sido identificado ou detido.

O delegado de Olímpia, Marcelo Pupo, revelou que uma testemunha, durante depoimento, afirmou que Anderson Marinho, 35 anos, estava transportando maconha para entregar aos suspeitos quando foi brutalmente assassinado junto com sua esposa, Mirele Tofalete, 32 anos, e a filha, Izabelly, 15 anos. No entanto, as autoridades suspeitam que as mulheres não estavam envolvidas com o tráfico.

Os corpos das vítimas, encontrados em estado de decomposição, apresentavam sinais de disparos de arma de fogo e estavam localizados em uma estrada de terra que atravessa o canavial. A testemunha que prestou depoimento, segundo o delegado, está sob investigação por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas e estava em saída temporária. Anderson, por sua vez, possuía antecedentes criminais por tráfico, datados de 2015.

O veículo da família, localizado no canavial, exibia marcas de tiros. Anderson foi encontrado fora do carro, enquanto a mãe e a filha estavam dentro do automóvel. Munições intactas e cartuchos deflagrados, todos de calibre 9 milímetros, foram descobertos no local.

Antes do desaparecimento, uma chamada para o número de emergência 190 da Polícia Militar foi identificada no celular da adolescente, porém, não foi completada. Durante as investigações, a polícia também constatou que Anderson havia recebido ameaças de morte anteriormente.

Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). Conforme informações apuradas pelo G1, não houve velório, mas os enterros ocorreram na manhã de terça-feira (2) no Cemitério Jardim Parque das Primaveras, em Olímpia. O caso está sob responsabilidade da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Votuporanga.

A família, composta por pai, mãe e filha, partiu de Olímpia em direção a São José do Rio Preto para um almoço comemorativo do aniversário da esposa, na quinta-feira (28). Desde então, os familiares não conseguiram contato com as vítimas, levando à realização de buscas na região. O desaparecimento foi registrado na Polícia Civil de Olímpia na sexta-feira (29), iniciando a investigação.

A irmã de Anderson relatou no domingo (31) que o último avistamento do carro da família foi captado por um radar em Mirassol (SP), cidade que não fazia parte dos planos da viagem. No mesmo dia, familiares foram informados de que o celular de Anderson emitiu sinal em Votuporanga, a 139 quilômetros de Olímpia e 83 quilômetros de São José do Rio Preto, local da celebração do aniversário. Foi nessa cidade que os corpos foram encontrados após um morador passar pelo canavial e alertar as autoridades.

Da redação do Acontece na Bahia