Planejamento é fundamental para iniciar 2013 no azul

Fim de ano é sempre tempo de promessas. Uma das mais recorrentes é organizar as finanças para não extrapolar o orçamento em 2013. Para entrar o ano com as contas no azul – e assim se manter ao longo dos meses seguintes – um bom planejamento financeiro é fundamental. Segundo os especialistas, o planejamento é a primeira lição da cartilha da educação financeira. E para planejar 2013 é preciso organizar-se desde o ano anterior.

O primeiro passo é preparar uma planilha elencando os gastos mensais fixos e as despesas eventuais. “A planilha é uma forma de  ter um controle total dos gastos”, afirma o consultor financeiro Humberto Veiga, autor do livro “Case com seu banco com separação de bens”. Diversos tipos de planilhas estão disponíveis na internet e podem ser uma boa ferramenta para quem quer se organizar.

Renda extra – No caso dos assalariados, o recebimento do 13º salário pode ser uma boa oportunidade para dar início ao planejamento.  Segundo os especialistas, o  pagamento de dívidas deve ser prioridade no uso desta renda extra. “A  primeira preocupação deve ser liquidar os débitos, principalmente no caso de quem está  no cheque especial   ou no rotativo do cartão de crédito” , alerta Andrew Storfer, membro do conselho de administração e diretor de economia da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Estes dois tipos de dívida devem ser rapidamente liquidados, pois possuem as mais altas taxas de juros praticadas no mercado,  variando entre 150% a 200% ao ano. “São juros absurdos e que toda pessoa deve evitar”, afirma  Andrew Storfer. Para quem está com as contas em dia, a renda do 13º salário pode ser utilizada para quitar despesas que  estão fora dos gastos fixos mensais.

No início do ano, por exemplo, a maioria das  famílias se depara com gastos com tributos como o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).   “Pagar estes dois tributos à vista  pode resultar em bons descontos”, lembra o  consultor Humberto Veiga.

Para quem tem filhos, a compra do material escolar e os gastos referentes ao período de férias, quando crianças e adolescentes tendem a ter mais gastos com lazer, devem ser levados em conta no planejamento.

“Quando são estabelecidas as prioridades, planejar fica mais fácil. Não adianta  gastar muito em lazer no período de férias e comprometer o orçamento do ano seguinte, entrando o ano endividado”, destaca o consultor financeiro Erasmo Vieira, da Planilhar Consultoria.
Olho nos gastos – As despesas de fim de ano como a compra de presentes de última hora  e festa de Réveillon também devem ser devidamente planejadas pelas famílias. O segredo é não gastar mais do que pode para garantir um orçamento mais folgado em 2013. “O importante é não entrar o ano fazendo novas dívidas”,  aconselha Veiga.

Fonte: João Pedro Pitombo – A tarde

Categoria(s): Nacional.

Comente: