Pintor baiano que deixou trabalho como frentista para se dedicar à arte expõe obras no Louvre, em Paris

O pintor baiano Eduardo Lima, que deixou seu trabalho como frentista para se dedicar à arte, está expondo suas obras no Louvre, em Paris. Natural de Capim Grosso, ele aprendeu a desenhar por conta própria e sua jornada da modesta cidade baiana para o prestigiado Carroussel do Louvre emocionou a todos, conforme um vídeo viral que circulou nas redes sociais.

Eduardo começou sua jornada artística com pinturas despretensiosas feitas em sua casa em Capim Grosso, no sertão da Bahia. Hoje, suas obras, que retratam o cotidiano dos nordestinos, estão sendo exibidas no famoso museu francês. A exposição destaca atividades infantis comuns na região nordestina do Brasil, como o jogo do telefone sem fio.

“Ser selecionado para expor minha arte em um dos maiores museus do mundo é grandioso! Quero que os jovens que sonham em viver de arte acreditem nos seus sonhos e jamais desistam”, afirmou Eduardo.

A trajetória de Eduardo na arte começou há 25 anos, muito longe das terras francesas. Ele começou a desenhar por hobby, fazendo bonecos de barro enquanto esperava seu pai terminar o trabalho na olaria em Capim Grosso. A arte era apenas um passatempo até que um acidente de carro o afastou temporariamente de seu emprego como frentista. Com tempo ocioso em mãos, ele redescobriu sua paixão pela pintura e começou a criar quadros para decorar sua casa.

Iniciando com paisagens, Eduardo começou a vender suas pinturas para amigos e, com o dinheiro, comprava mais materiais para pintar. Há mais de 20 anos, ele decidiu deixar seu emprego no posto de gasolina para investir integralmente em sua carreira de artista. Inicialmente enfrentando dificuldades, ele viajou pelo sertão baiano vendendo suas obras e enfrentou obstáculos como dormir ao relento e lidar com incêndios em seu carro.

Com o tempo, as redes sociais impulsionaram sua carreira. A foto de um de seus quadros viralizou, e Eduardo começou a ter admiradores de diversas partes do Brasil, recebendo propostas de vendas e exposições. Atualmente, ele possui mais de 130 mil seguidores em uma de suas redes sociais.

Além de suas obras de arte, Eduardo também cria produtos como pôsteres, chinelos, canecas e camisas com suas estampas, tornando seu trabalho acessível a um público mais amplo. Agora, com um sorriso no rosto e determinação, ele provou que é possível alcançar grandes alturas, mesmo vindo de origens humildes, e inspira outros a seguir seus sonhos.