Pastor marido de Flordelis teve comida e bebida envenenadas pelo menos 6 vezes e chegou a ir para a emergência

A história do pastor Anderson e da deputada Flordelis está ganhando detalhes que antes eram inimagináveis. Preocupados em zelar a imagem de casal dedicado e comprometido com a religião, não se pensava que acontecimentos tão cruelmente planejados fossem surgir na história dos dois. Dessa vez, além de revelar que Flordelis arquitetou o plano de execução de Anderson, as investigações também descobriram que o pastor teve sua comida envenenada pelo menos 6 vezes.

Com a participação de várias pessoas, Flordelis teria articulado o grupo para tirar a vida do marido. A intenção era forjar um latrocínio (roubo seguido de morte). Contudo, aos poucos a história foi se desmembrando e revelando que até mesmo os filhos do casal estavam envolvidos no assassinato do pai. Entretanto, antes da morte de Anderson de fato acontecer, outro plano já havia sido tentado.

Anteriormente, a intenção era tirar a vida de Anderson de forma menos chamativa. Por conta disso, pastor teve sua comida e bebida envenenadas com compostos químicos como cianeto ou arsênico. O arsênico é um químico que apresenta alta toxicidade, é insípido e inodoro, o que facilitaria que fosse colocado na comida sem gerar muitas suspeitas. O cianeto, por sua vez, tem perfil também muito agressivo, podendo intoxicar o sangue e comprometer a oxigenação do corpo, gerando uma morte rápida. Em consequência da ingestão dessas substâncias, Anderson precisou ser atendido na emergência inúmeras vezes. Nessa segunda-feira, dia 24, outros membros da família foram presos Leia Mais.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: