Pastor Anderson suspeitava que a família queria matá-lo e chegou a se salvar duas vezes

Foram reveladas novas informações sobre a história do pastor Anderson e da sua mulher, a deputada Flordelis. De acordo com as investigações, Anderson suspeitava que a família planejava a sua morte. Meses antes do consumável dia de sua execução, aconteceram pelo menos 8 tentativas de tirar a vida do pastor.

Antes de ser morto a tiros o pastor foi envenenado diversas vezes e chegou a ler mensagens que falavam sobre os planos para matá-lo. Estas mensagens teriam sido trocadas entre os próprios filhos do pastor.

Segundo as investigações, o pastor teria sido envenenado com arsênico, um metal pesado altamente tóxico ao organismo humano. Contudo, essas tentativas não funcionaram como esperado e duas filhas do casal resolveram comprar cianeto na internet. O cianeto é ainda mais tóxico, ele impede a oxigenação sanguínea e provoca uma morte súbita. Como resultado de todos esses envenenamentos, Anderson foi levado à emergência hospitalar diversas vezes. Lá, ele foi diagnosticado com sintomas de envenenamento e teve ciência disto.

Diante de tantas coincidências ruins, Anderson teria começado a suspeitar.Como estas tentativas de envenenamento não funcionaram, o plano era forjar um assalto que seria seguido da morte do pastor. Ainda segundo as investigações, certo dia uma mensagem estranha foi descoberta por ele. De alguma forma, uma mensagem trocada entre dois dos seus filhos apareceu no tablet do religioso. O pequeno texto se tratava de uma das irmãs incitando o outro irmão a tirar a vida do pastor por R$10 mil de pagamento. Entretanto, suspeita-se que a mensagem não tenha sido escrita por uma das filhas e sim por Flordelis, a própria mulher de Anderson. Porém, apesar de ter lido a mensagem por conta própria e ter consciência de seu conteúdo, Anderson não acreditou.

Anderson se safou duas vezes antes de morrer

Após isso, teriam ocorrido duas tentativas de matar o pastor. Uma na saída de uma concessionária, no Rio, e outra na saída de uma das igrejas evangélicas da mesma linha que ele e sua mulher participavam. A primeira, na loja de carros, não teria se concretizado pois o pastor não estava sozinho dentro do veículo, e o executor teria sido orientado por Flordelis a não atirar se isso acontecesse. Na segunda, uma eventualidade teria salvado Anderson. Na hora em que deixaria a igreja, seu carro apresentou um defeito mecânico e ele acabou saindo de lá dentro de outro carro, o que deixou o executor confuso.

Semanas depois, o pastor acabou executado na frente de casa. Entenda o que motivou tudo isso, Leia Mais.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: