Pai de moça que humilhou vendedores pede desculpa: “Não sou juiz nem poderoso”

Na última quinta-feira (20), um caso foi divulgado nas redes sociais em que uma mulher humilha os trabalhadores de um quiosque no Leblon, no Rio de Janeiro.

Durante o vídeo,  é possível vê ela afirmando ser “filha de homem poderoso” enquanto xinga os trabalhadores.

Entretanto, segundo entrevista do pai dada ao jornal O Globo, o homem diz que ele não é juiz.

“Eu não sou poderoso, não sou nada. Só sou um aposentado. Liguei para o quiosque e pedi desculpas, é o que eu posso fazer. Mas não estou justificando o que minha filha fez”, disse.

“Antes de tudo começar, ela tinha visto a gente ali e falou que se a mãe dela a visse conosco, ela ia tomar uma surra. Eu perguntei o por quê. Ela falou: “Minha família é socialite, eu sou cineasta, meu pai é juiz”, disse Júlio.

O trabalhador ainda afirmou que, antes de ir embora, a mulher se descontrolou, derrubou a mesa e os chamou de “pretos feios”.

“A gente sabe que existe o racismo, mas quando se vê materializado de forma tão ridícula… Normalmente, você vê um olhar desconfiado no supermercado. Mas quando ouve preto como se fosse ofensa, é estranho”, lamentou.

Quase um mês depois dos dois casos, Júlio expôs a situação nas redes sociais como forma de desabafo. “Eu tinha conseguido esse emprego há um mês. Minha intenção nem era abrir processo pensando no desgaste financeiro e emocional”, contou.

Categoria(s): Nacional.

Comente: