Pacientes de médico condenado a 9 anos de prisão, Wesley Murakami, compartilham experiências de intensas dores e depressão pós-procedimentos.

Pacientes de médico condenado a 9 anos de prisão, Wesley Murakami, compartilham experiências de intensas dores e depressão pós-procedimentos.

Pacientes do caso Wesley Murakami, condenado a mais de 9 anos de prisão por lesões corporais graves em nove vítimas, compartilham relatos angustiantes de problemas físicos e psicológicos causados pelos procedimentos.

Os depoimentos incluem dores intensas, desmaios e depressão, evidenciando o impacto significativo nas vidas das vítimas.

A defesa do médico, em nota, afirmou respeitar a decisão judicial e tomará as medidas legais apropriadas. Destacaram que Wesley responderá ao processo em liberdade. Pacientes, ao detalharem suas experiências, revelam um cenário de sofrimento físico e emocional após os procedimentos estéticos.

A condenação de Wesley Murakami envolveu depoimentos de 14 pacientes, embora tenha sido condenado especificamente por lesão corporal gravíssima em nove casos. As narrativas incluem situações em que o médico minimizou os problemas e prometeu resultados irreais.

Além das complicações físicas, como inchaço e desconforto, as vítimas destacam os impactos psicológicos, como depressão. Algumas chegaram a tentar suicídio devido às deformidades resultantes dos procedimentos.

A sentença destaca que Wesley estava ciente dos riscos e das consequências negativas, mas continuou praticando os procedimentos estéticos sem autorização do Conselho Regional de Medicina. A condenação reflete a gravidade dos danos causados às vítimas, incluindo sequelas permanentes e a necessidade de procedimentos reparadores.

O médico, cujo registro profissional foi suspenso, já enfrentou prisão anteriormente. Suas ações resultaram em condenações a pagar indenizações substanciais a algumas das vítimas.

Fonte: G1

Foto: Reprodução/TV Anhanguera e Arquivo Pessoal das vítimas