Na prisão, Tio da menina Lara escreve carta e nega envolvimento no caso: “Isso não”

O tio de Lara Nascimento, menina de 12 anos encontrada morta em 19 de março, escreveu uma carta na prisão. O documento foi obtido pela reportagem de Cidade Alerta, da Record TV. No documento, ele alega inocência na morte da sobrinha e também afirma não ter dívida com o tráfico de drogas que poderia ter sido paga no assassinato da criança.

“Estou preso por tráfico de drogas e tenho passagem por roubo, mas assassino de criança não. Eu estava com minha esposa, Rose, e a amiga dela, que se chama Rute, no dia e horário que a Lara desapareceu”, escreveu no documento.

Ele ainda diz que conversou com a menina por chamada de vídeo logo depois da “saidinha” da prisão onde cumpre pena, em Barueri. Segundo o tio, Lara participou da ligação acompanhada de outras crianças da família, horas antes de desaparecer.

“Deixo claro para toda a população do Brasil que está acompanhando esse caso que eu, Anderson, estou disposto a dar qualquer entrevista e fazer qualquer tipo de exame para provar que não tenho nada a ver com a crueldade que fizeram com a minha sobrinha”, diz.

“Só quero ver esse verme preso. Eu, particularmente, o que ele fez com a minha sobrinha eu não perdoo. Olho por olho, dente por dente”, finaliza, na carta escrita nesta quarta-feira (30) e assinada por Anderson Rogério Silva.

O tio é um dos investigados no assassinato por causa de sua ligação com o tráfico, mas o principal suspeito do assassinato é um homem que foi flagrado dirigindo um carro cinza na região no dia do desaparecimento.

A polícia já pediu a prisão temporária dele, mas não dá mais detalhes sobre o homem para não influenciar as investigações. O homem chegou a ter contatos com a delegacia por telefone, mas depois se recusou a colaborar e agora está foragido.

Do Portal R7

Categoria(s): Nacional.

Comente: