Mulher que matou amiga para roubar o bebê havia perdido filho e tinha obsessão por ser mãe

Nesse final de semana, uma história comoveu o Brasil. Aos 24 anos, a jovem Flávia Godinho, que estava grávida, foi encontrada sem vida e sem o seu filho no ventre. Pouco tempo depois, uma outra mulher, considerada uma das melhores amigas de Flávia, foi presa sendo suspeita de matar a jovem e roubar o bebê. Agora, revelou-se que a suspeita esteve grávida quase que no mesmo período que Flávia, mas perdeu o filho e teria uma obsessão por conta disso.

Depois de desaparecer por cerca de um dia, Flávia foi encontrada morta e sem o filho na sua barriga. Após ser atraída para um suposto chá de bebê, a jovem acabou indo parar numa armadilha.Atingida por tijoladas na cabeça, ela ficou inconsciente e teve a barriga aberta com um estilete para retirar o bebê.

A descoberta

A então acusada, “amiga” de Flávia, foi até o hospital com o bebê, se passando por uma mãe que acabou de dar à luz. Porém, um fato chamou a atenção da equipe médica. Segundo eles, o bebê apresentava cortes e lesões, provavelmente resultado de um parto inapropriado. Então, a polícia foi chamada e prendeu a mulher em flagrante. Agora, as autoridades receberam a informação de que a motivação para tudo isso seria oriunda de uma obsessão pela maternidade.

Pouco menos de um ano atrás, a acusada estava grávida, quase que no mesmo período que Flávia, mas acabou perdendo o bebê. Depois disso, a vontade de ser mãe teria se tornado um desejo doentio. Segundo relato de pessoas próximas ela tinha obsessão por ser mãe, por ter um filho.A acusada está presa e confessou o crime. O marido dela também está preso, mas nega tudo e diz que não sabia sobre os planos da mulher. Entenda o caso do início LEIA MAIS.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: