Mulher, mãe de gêmeos influenciadores digitais, é assassinada pelo marido com tiro na cabeça enquanto dormia em São José do Rio Preto, diz polícia.

Mulher, mãe de gêmeos influenciadores digitais, é assassinada pelo marido com tiro na cabeça enquanto dormia em São José do Rio Preto, diz polícia.

A Polícia Civil informou que uma mulher de 34 anos, mãe de gêmeos influenciadores digitais, foi baleada na cabeça enquanto dormia, vítima do seu marido de 36 anos.

O trágico acontecimento ocorreu na manhã de quarta-feira (1º) em um condomínio em São José do Rio Preto (SP), e resultou em um feminicídio seguido de suicídio.

Para mais informações acesse nosso canal no WhatsApp!

De acordo com o relato no boletim de ocorrência, Victor dos Santos Lima Bezerra, um representante comercial de uma empresa de internet, efetuou o disparo contra Luana Caroline Verdi Lima enquanto ela estava deitada. Logo em seguida, ele se feriu fatalmente, disparando contra o próprio queixo e peito.

O casal, que estava junto há quase 20 anos, eram pais de gêmeos de 11 anos, que eram influenciadores digitais com mais de 50 mil seguidores nas redes sociais.

A investigação indicou que o casal estava em processo de separação, mas Victor não aceitava o término. Ambos compartilhavam a mesma residência, e os corpos foram encontrados no mesmo quarto.

O pai de Victor, de 61 anos, relatou à polícia que seu filho havia se queixado do relacionamento com Luana dias antes do crime. A apuração aponta que o ato foi premeditado.

Na manhã do ocorrido, Victor solicitou a um parente que buscasse seus filhos na escola, alegando estar ocupado. Por volta do meio-dia, o idoso foi até a residência do filho, uma vez que não havia retorno às ligações e mensagens enviadas. Com auxílio do síndico do condomínio e de um chaveiro, a porta da casa foi arrombada, revelando a trágica cena no quarto.

A arma de fogo utilizada no crime foi apreendida, e a mesma apresentava a numeração raspada. A perícia foi acionada, e os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização do exame necroscópico. A Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic) está acompanhando o caso.

Foto: Reprodução/Facebook