Mulher é detida em Belo Horizonte por se passar por homem e manter relacionamentos enganosos

Mulher é detida em Belo Horizonte por se passar por homem e manter relacionamentos enganosos

Na última segunda-feira (16 de outubro), uma mulher de 27 anos foi presa em Belo Horizonte, no bairro Copacabana, sob acusações de estelionato e violação sexual.

As autoridades revelaram que ela se fazia passar por um homem para se aproximar de outras mulheres e estabelecer relacionamentos afetivos. A prisão ocorreu como resultado de uma operação conduzida pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Para mais informações acesse nosso canal no WhatsApp!

De acordo com as investigações, a suspeita adotava a identidade de um médico do Espírito Santo, usando o nome Rafael em um perfil falso nas redes sociais e aplicativos de namoro. Por meio dessas plataformas, ela conseguia se aproximar de mulheres interessadas em encontrar companhia masculina.

“Após ludibriar as vítimas que se interessavam pelo perfil, a suspeita marcava encontros presenciais e então cometia as violações sexuais”, informou a delegada Larissa Mascotte, da Delegacia Especializada de Combate a Violência Sexual. Ainda segundo a delegada responsável pela investigação, as vítimas eram induzidas a acreditar que tal personagem existia “devido aos vários detalhes engendrados com cuidado pela suspeita”.

A investigação revelou que os crimes vinham ocorrendo há pelo menos quatro anos e não se limitavam apenas a Minas Gerais; há relatos de vítimas em outros estados, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Piauí. “Uma das vítimas teria se encontrado com o suposto médico em São José do Rio Preto. A investigada foi indiciada em São Paulo, e como não foi presa lá, teria vindo para Minas Gerais”, detalhou a delegada.

A operação da Polícia Civil foi realizada na residência da suspeita, em Belo Horizonte, onde foram apreendidos telefones celulares, dispositivos eletrônicos e outros materiais utilizados por ela durante os encontros enganosos. Todo o material será submetido a exames periciais enquanto a investigação permanece em andamento.

Foto: Polícia Civil/Divulgação