Mulher com tumor raro morre a espera de exame: ‘Deixaram morrer’

Lediana Araujo dos Santos, de 22 anos, faleceu, nesta segunda-feira, a espera de um exame que ajudaria diagnosticar um raro tumor no quadril que a jovem lutava. Ela precisava desta biópsia para obter um diagnóstico concreto de seu estado de saúde.

Carmem Araujo , tia da jovem, falou em tom melancolico acerca do falecimento da sobrinha. Ela falou que Lediana morreu pela negligência das entidades públicas de saúde, uma vez que enviaram a jovem diversas vezes para os hospitais sem o documento necessário para realização dos exames. Além disso, o procedimento só foi marcado, nesta segunda-feira, após ameaças feitas pela família na ouvidoria pública em que chamariam canais televisivos e a polícia. Entretanto, a mulher não conseguiu seu diagnostico e veio a óbito.

Segundo a Central de Regulação da Baixada Santista, o Hospital Irmã Dulce foi auxiliado com a regulação para agendar o atendimento no Oncológico na Benificência Portuguesa, um das principais unidades de referência para o tratamento de câncer na região.

‘ Eles [hospital] deixaram ela morrer, sem exame e sem tratamento. Tá muito dolorido para a gente da família. O que eles fizeram foi inaceitável. Vamos atrás de justiça”, fianliza a tia.

Inchaço nas pernas e dores causadas pleo tumor impediam jovem de andar — Foto: Arquivo Pessoal

Um boletim de ocorrência foi registrado pela família na Delegacia Sede de Praia Grande. Ademais, o corpo da jovem seguiu para o IML e a Polícia Civil irá investigar o caso.

Categoria(s): Social.

Comente: