Moradores se exaltam e tentam impedir sepultamento de idosa que morreu de Covid-19

O distrito do Junco, na região da cidade baiana de Jacobina, foi palco de uma situação complicada nessa semana. Ao decidir por sepultar uma idosa no cemitério do distrito, uma família passou por contestações e constrangimentos. Algumas pessoas não queriam que a senhora, que morreu em consequência do Covid-19, fosse sepultada ali e tentaram evitar isso por conta própria.

De acordo com o portal Retiro Notícias, a senhora Guiomar Pereira dos Santos, de 89 anos, era natural da cidade, mas havia se mudado para Capim Grosso, a 60 Km de lá. Ela morreu no Hospital Regional de Jacobina, onde estava internada após contrair o coronavírus. Antes de falecer, ela expressou que gostaria de ser sepultada no cemitério do Junco, onde seu marido também fora enterrado antes.

O translado para o Junco foi feito apenas pelo carro da funerária e por outro com poucos familiares, como medida de segurança. Sabendo do ocorrido, moradores do junco tentaram intervir e ir até o local, mas o sepultamento já havia sido realizado. Diante disso, alguns se exaltaram, exigiram que a cova fosse reaberta e o caixão levado para outro lugar, criando uma situação totalmente desconcertante.

O momento foi muito difícil para a família, pois eles já haviam morado no Junco antes. No fim das contas, a vontade dos familiares foi respeitada, como deve ser. Ainda segundo o portal, dona Guiomar não foi a primeira vítima da doença a ser sepultada no distrito, pois um senhor que também era natural da cidade e se mudou para Capim Grosso foi enterrado lá.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: