Michelle Bolsonaro foi vacinada contra a Covid-19 nos EUA por orientação de médico

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais neste sábado (25). A primeira-dama Michelle Bolsonaro tomou a vacina contra a Covid-19 nos Estados Unidos e o Palácio do Planalto emitiu uma nota oficial para esclarecer que o imunizante foi oferecido por um médico enquanto a primeira-dama fazia um teste PCR antes de retornar ao Brasil.

Michelle Bolsonaro havia sido muito criticada por lideranças políticas. Entretanto, já estaria maturando a ideia de se vacinar.”A Primeira-Dama reitera a sua admiração e respeito ao sistema de saúde brasileiro, em especial, aos profissionais da área que se dedicam, incansavelmente, ao cuidado da saúde do povo”, diz o comunicado.

Jair Bolsonaro já havia comunicado sobre a vacinação de Michelle Bolsonaro em entrevista à Veja e afirmou que ele não se imunizou.”Tomar vacina é uma decisão pessoal. Minha mulher, por exemplo, decidiu tomar nos Estados Unidos”.

Alguns políticos e infectologistas criticaram a atitude de Michelle Bolsonaro em querer se vacinar nos EUA e não aqui no Brasil. Para eles a primeira-dama mostrou ‘desprezo’ ao Sistema Único de Saúde (SUS) e ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, disse que Michelle Bolsonaro poderia ter se vacinado aqui para mostrar exemplo aos brasileiros e mostrar ‘patriotismo de verdade’.”A vacina que é aplicada nos Estados Unidos é a mesma que é aplicada aqui no Brasil. Então, ela poderia aqui ter se vacinado, mostrado aos brasileiros ela se vacinando, para dar um bom exemplo”, disse Aziz.

Acompanhe a nota emitida sobre a vacinação de Michelle Bolsonaro:

A Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) informa que a Primeira-Dama, senhora Michelle Bolsonaro, integrante da Comitiva Presidencial à Nova Iorque (EUA), deslocou-se àquele país para acompanhar o senhor Presidente da República nas agendas oficiais, bem como para cumprir uma agenda, sobre doenças raras, na Missão do Brasil na Organização das Nações Unidas. Antes de retornar ao país, submeteu-se ao teste de PCR, obrigatório para autorização de embarque e, durante a realização da testagem, a Primeira-Dama foi indagada pelo médico se ela gostaria de aproveitar a oportunidade para ser vacinada. Como já pensava em receber o imunizante, resolveu aceitar. A Primeira-Dama reitera a sua admiração e respeito ao sistema de saúde brasileiro, em especial, aos profissionais da área que se dedicam, incansavelmente, ao cuidado da saúde do povo.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: