Médica picada por cobra durante banho de cachoeira está com 70% das vias aéreas comprometidas

A jovem médica picada por uma jararaca teve uma piora no seu estado de saúde, que é considerado grave. Enquanto estava na cachoeira de um parque, ela foi picada duas vezes pela serpente e precisou ser internada na UTI. Hoje, o diagnóstico revelou que ela está com 70% das capacidades respiratórias comprometidas.

Depois do ocorrido, os amigos correram para socorrer Diyenne Saugo. Contudo, ainda assim ela teve que ser encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva. Com 70% das capacidades respiratórias de Dieynne comprometidas, a equipe médica precisou fazer uma traqueostomia. O procedimento trata-se de uma pequena abertura na traqueia, para melhorar o fluxo de ar. Outra opção seria uma intubação, que é mais invasiva e por isso foi descartada pelos médicos.

De acordo com o portal Globo, a serpente picou a médica no rosto e no pescoço. Por conta disso, o inchaço propiciou que as vias aéreas dela ficassem ainda mais comprometidas. Isso não aconteceria na mesma intensidade se a picada fosse na perna ou nos braços, por exemplo.

O que aconteceu?

Na último final de semana o passeio no parque se transformou numa grande luta contra o tempo. Quando estava na cachoeira com as amigas, Diyenne foi surpreendida pelas picadas da serpente. A principal suspeita é de que a cobra acabou sendo levada pela correnteza e, na queda d’água da cachoeira, acabou parando justamente em cima da médica, ou próximo dela. Então, como o animal estaria estressado com a situação, a reação agressiva seria um comportamento considerado comum. O parque onde tudo ocorreu, no Mato Grosso,  afirmou que, em 9 anos de  funcionamento, é a primeira vez que algo assim acontece.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: