Marinheiro preso após causar tragédia bebia sempre que pilotava em Boipeba, diz delegado

O marinheiro detido após o acidente que resultou na morte de dois turistas durante a colisão entre duas lanchas em Boipeba, Cairu, na última sexta-feira (29), tinha o hábito de consumir bebidas alcoólicas enquanto conduzia a embarcação. Ele foi detido sob a influência de álcool quando ocorreu a prisão. O trágico incidente ocorreu no Rio do Inferno, resultando no afogamento da goianiense Larissa Fanny Galantini Pires, 35 anos, e do alagoano Mario André Machado Cabral, 34 anos.

“De acordo com as informações obtidas, o marinheiro da lancha Bicudinha III já demonstrava ser reincidente na prática de conduzir a embarcação sob o efeito de bebidas alcoólicas”, afirmou o delegado José Raimundo Nery Pinto. O piloto foi autuado em flagrante por exposição da embarcação a perigo, causando naufrágio, e por lesão corporal com resultado de morte. Ele passará por audiência de custódia.

O delegado informou que uma turista de São Paulo, identificada como Marina, foi resgatada com vida e está hospitalizada em Santo Antônio de Jesus, sem risco de morte. O condutor da lancha atingida encontra-se no hospital de Valença e deve receber alta ainda hoje.

O acidente ocorreu em uma área conhecida como Tapera. A lancha Datoli XII, que transportava 12 passageiros no sentido Valença/Boipeba, foi atingida pela embarcação que se deslocava no sentido oposto. “Outras vítimas sofreram lesões corporais”, acrescentou o delegado.

Ele também informou que a Polícia Civil e a Capitania dos Portos intensificarão suas ações para prevenir futuros acidentes.

Da Redação do Acontece na Bahia

Foto: Reprodução