Marieta Severo revela temer as eleições de 2022 e afirma: “É o ano de berrar, gritar, tentar convencer”

A atriz Marieta Severo, junto com Andréa Beltrão, concedeu uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo para celebrar os 15 anos do teatro que fundaram em Botafogo, no Rio de Janeiro, o Poeira, e aproveitou o momento para falar sobre as dificuldades de comandar o espaço com o governo Bolsonaro.

Segundo Severo, “Nunca se falou tanto na palavra ‘democracia’, por quê? Porque ela está sendo ameaçada todo santo dia. Temos que relembrar todo dia o que é a democracia, vendo as instituições ruindo por dentro. Esse ano é o ano de berrar, gritar, tentar convencer, tentar ver quem são esses 20% da população. Qual a alma de vocês para apoiar isso? Eu tenho medo”.

Com os cortes da Petrobras, em 2019, o teatro encontrou dificuldades para realizar os projetos que desenvolviam, como cursos de teatrólogos renomados do Brasil e do exterior.

Severo e Beltrão relembram que na época redes bolsonaristas comemoraram o suposto “fim da mamata”. Segundo elas, esses comentários são “má intenção. Conseguiram colar essa pecha na gente. A mamata deles continuou. Só não é desvendada porque eles se protegem.”

E Marieta completa: “Fizemos todo o Poeira com o nosso dinheiro. Mas não temos nenhum problema com a Lei Rouanet, a gente só tem a favor. Todos os países do mundo têm incentivo fiscal para a indústria cultural, que rende milhões e emprega milhões”.

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Artistas.

Comente: