Mães de sete crianças abandonas e presas em casa com fome e sede são presas em Macapá

Uma notícia está sendo destaque neste sábado (03). Duas mulheres, de 20 e 22 anos, mães das sete crianças abandonadas em uma casa com fome em junho deste ano foram presas na manhã de ontem, depois das duas passarem a ameaçar o Conselho Tutelar.

No dia 4 de junho deste ano, as crianças e uma adolescente de 13 anos, tia das crianças, foram encontradas pelo Conselho Tutelar em situação deprimente. Em uma casa repleta de lixo, os menores estavam sem água, com fome, desidratadas, sem fogão e geladeira. Além disso, estavam sujos, sem roupas e com indícios de anemia.

A adolescente era instruídas pelas irmãs, mães das crianças, para que fingisse ter 17 anos. Ela ficava como responsável pelos sobrinhos diversas vezes.

Todos os menores moravam nessa casa há cerca de um mês com as mães. “A família estava aqui há aproximadamente um mês, sem condições mínimas de sobrevivência, de manter-se em condição de dignidade da pessoa. Não há menor condições de alguém permanecer nela com o mínimo de dignidade, não tem nem água. Como é que essas crianças sobreviviam aqui?”, disse o delegado responsável pelo caso.

“A casa é bastante pequena, não tem água encanada, alimentos, geladeira, fogão e nem água para as crianças beberem. No momento em que nós entramos na casa nós conseguimos ver a realidade onde as crianças se encontravam, trancadas na casinha sem condições”, detalhou o conselheiro Helton Luiz.

Abandonadas pelas mães, sete crianças e uma adolescente foram resgatadas de uma casa na capital do Amapá — Foto: Reprodução

Os pais das crianças e as avós foram procurados e afirmaram que não poderiam ficar com as crianças. Por conta disso, elas seguem em um abrigo.

As duas mães passaram a ameaçar e coagir as assistentes sociais do Conselho Tutelar de Macapá e por isso foram presas. As duas foram ouvidas ontem e desde o dia 9 de junho são indiciadas pelos crimes de cárcere privado, abandono de incapaz e maus tratos.

“Duas assistentes sociais do Conselho Tutelar informaram que as mulheres estavam ameaçando a equipe fazendo sinal com as mãos e diziam que elas e os outros teriam o que merecem. Com base nessas informações e com base no depoimento de que um dos pais, que disse que elas fazem parte de uma facção criminosa, eu representei pela prisão preventiva das duas”, afirmou o delegado.

Durante os depoimentos, segundo o delegado, as duas riram e debocharam da ação policial.

 

Da Redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: