Search
Close this search box.

Mãe que fraturou oito costelas do filho por bagunça em SP é presa; padrasto foi achado morto

A Polícia Civil em São Vicente, no litoral de São Paulo, prendeu, na noite desta quarta-feira (5), a mulher suspeita de agredir brutalmente o próprio filho, de quatro anos, junto com o companheiro. A criança, que precisou ser reanimada no hospital, fraturou oito costelas e um braço. A 1ª Vara Criminal do Foro de São Vicente já havia expedido um mandado de prisão no fim da tarde. O padrasto do garoto foi encontrado morto.

Conforme apurado pelo produtor Luiz Linna, da TV Tribuna, emissora afiliada a Rede Globo na Baixada Santista e Vale do Ribeira, a mulher fugiu após o crime e havia se escondido, nos últimos dias, na cidade de Itanhaém, que também fica na Baixada Santista. Ela foi encontrada por policiais do 2º DP de São Vicente , na casa de familiares, e não resistiu a prisão.

O g1 teve acesso ao pedido de prisão, que diz que a mãe do menino, identificada como Julia Cristina Pereira, seria a responsável por agredi-lo junto ao seu companheiro e padrasto da criança, que, segundo informações da polícia, foi assassinado por conta das agressões.

No mandado de prisão, o juiz pontua que “há fortes indícios da autoria dos crimes pela averiguada [mãe], em especial pelas declarações das Conselheiras Tutelares, filmagens e relatório de investigação policial”. Segundo as autoridades, o crime supostamente cometido pela mãe “é gravíssimo” e, por isso, ela deve ser encontrada imediatamente.

Além disso, o Ministério Público ponderou que ‘a forma como o crime foi praticado, bem como seus motivos, denotam que Júlia é uma pessoa de índole violenta e perigosa, capaz de agredir de forma cruel o próprio filho, criança em tenra idade’. Por isso, segundo o documento, a prisão é necessária para evitar a ‘reiteração dessas supostas práticas lesivas’.

O caso
Segundo apurado pelo g1, o pai do menino cuidava dele e dos outros dois filhos, mas recentemente perdeu a esposa para o câncer. Por conta disso, a ex-mulher dele e mãe do menino disse que ficaria com as crianças para ajudá-lo a passar por esse momento.

No dia 28 de setembro, o menino de quatro anos teria sido agredido pela mãe e pelo companheiro dela.

Após o episódio, o padrasto levou a criança para a casa dos pais dele, que levaram o menino para o hospital. “A mãe do padrasto falou que o filho dela tinha aparecido na casa da família com o menino enrolado em um lençol, e disse que ele [o menino] estava muito mal”, explicou a conselheira tutelar Valdelice Alves, em entrevista ao g1.

A conselheira disse ainda que o menino foi reanimado no hospital e contou o que aconteceu para as enfermeiras. “Ele contou que a mãe bateu nele e depois colocou ele no banho gelado. O menino chegou no hospital com hipotermia, por isso foi preciso essa reanimação”, explicou a conselheira.

O vídeo feito pela mãe do menino mostra ela falando com ele após as agressões. Ele está sem roupas, encostado na parede e machucado. A mulher diz: “Tá rangindo tu? Tu tá rangindo e tá virando a cabeça? Dentro da minha casa você não vai fazer bagunça. Você não vai fazer bagunça (sic)”.

g1