Justiça libera agente da PCDF que atirou em delegada e agrediu mulher

O policial de custódia da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Rodrigo Rodrigues Dias, que foi flagrado agredindo uma mulher em um bar de Vicente Pires, passou por audiência de custódia e foi liberado pela Justiça nesta quarta-feira (27/12).

O incidente ocorreu por volta de 0h15 desta quarta-feira, quando o agressor, armado, atirou no pé da delegada Karen Langkammer, que interveio para conter a agressão. O vídeo mostra o agente agredindo uma mulher, sendo repreendido pela delegada, e em seguida, ameaçando clientes ao sacar sua arma dentro do bar.

A Polícia Militar do DF (PMDF) foi acionada, e o suspeito, após ser localizado atrás de um carro branco, foi desarmado pelos policiais. Rodrigo portava uma pistola Glock 9 mm, oito munições e um carregador.

O agente foi preso em flagrante por disparo em via pública, lesão corporal e vias de fato. O caso foi inicialmente registrado na 8ª Delegacia de Polícia (Estrutural) e encaminhado para apuração pela Corregedoria-Geral de Polícia (CGP).

Após a divulgação do episódio, uma massoterapeuta de 34 anos denunciou outro caso de assédio envolvendo o agente policial. Em março deste ano, a vítima procurou a 4ª Delegacia de Polícia (Guará) para relatar um caso de importunação sexual. O policial, que trabalha na delegacia, posteriormente a assediou, fazendo comentários sobre sua aparência e estado civil.

O agente policial já possui histórico de violência contra a mulher, com registros anteriores. Em 2018, sua então companheira, uma sargento do Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF), denunciou o marido com base na Lei Maria da Penha. O policial é descrito como possessivo, ciumento e com problemas relacionados ao consumo de álcool. O casal, que tem duas filhas, enfrentou uma série de episódios de violência, incluindo agressões físicas e ameaças constantes.

Da redação do Acontece na Bahia