Juíza responsável pelo caso Henry pede reforço policial para a primeira audiência no mês de outubro

Uma notícia tem sido destaque nas redes sociais nessa sexta-feira (10). A juíza Elizabeth Louro, do 2º Tribunal do Júri, solicitou reforço policial para a primeira audiência de instrução e julgamento do Caso Henry agendada para 6 de outubro, às 9h30, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Por “se tratar de fato rumoroso, que ganhou notoriedade na mídia nacional”, haverá maior controle e rigor no acesso à plateia.

O final dessa história começará a ser traçado nesta audiência e os suspeitos da morte do menino, a mãe dele, a professora Monique Medeiros, e o padrasto, o vereador cassado Jairo Souza Santos Júnior, Dr. Jairinho, vão enfrentar o Tribunal. Os dois foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por tortura e homicídio triplamente qualificado.

A juíza manteve o aditamento da denúncia, com a inclusão de pedido de indenização ao pai do menino Henry Borel Medeiros, requerido pelo MPRJ. Foi publicado nessa quarta-feira (8), o despacho judicial. A magistrada indeferiu a alegação dos advogados do ex-vereador de que um dos telefones dele apreendido pela polícia havia sido usado, mesmo estando em poder das autoridades. O telefone foi recolhido pelas autoridades no dia 8 de abril, data em que o casal foi detido.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: