Jovem que tirou a vida do ex-namorado durante relação vai para o semiaberto em Rondônia

Uma notícia tem repercutido nas redes sociais nesta sexta-feira (24). A jovem Vânia Basílio Rocha, vendedora e condenada por matar o ex-namorado a facadas no momento em que praticavam ato sexual, conseguiu a progressão de pena para o regime semiaberto por determinação da justiça de Rondônia e deixou o presídio feminino de Vilhena (RO).

O crime aconteceu em 2015 e a jovem que na época tinha 18 anos confessou ter matado a facadas Marcos Catanio e relatou o momento do crime: ‘Fiquei olhando olho no olho até ele morrer’, contou.

Vânia que havia sido condenada a 13 anos de prisão teve a pena diminuída em 2017 para 8 anos e 4 meses de reclusão, após Tribunal de Justiça de Rondônia deferir recurso da defesa de Vânia. A progressão de pena aconteceu agora faltando um ano e meio para o fim do cumprimento da pena, o que implica em 81 % da pena já cumprida.

A jovem hoje está com 24 anos e após a progressão para o semiaberto passou a usar tornozeleira eletrônica, além de ficar sob a tutela da mãe. O juiz analisou que Vânia não tinha faltas disciplinares ou incidentes indesejados na prisão e portanto concedeu o benefício. Entretanto, por ter sido considerada sociopata, foi determinado que Vânia siga com o tratamento psiquiátrico e psicológico e que use os medicamentos específicos enquanto estiver fora da unidade prisional.

O acompanhamento de Vânia deverá ser feito pela mãe. ‘‘A genitora deve encaminhar os relatórios mensais de acompanhamento e tratamento médico psiquiátrico e psicológico, sob pena de revogação da presente decisão”, determina a ordem judicial.

Foi realizado um laudo pericial antes de Vânia ser liberada que atestou o entendimento dela em cumprir as condições exigidas para o benefício do regime semiaberto.

Foi também determinado pelo juiz Adriano Lima que a Unidade Prisional Feminina de Vilhena monitore Vânia 24 horas e que eventual violação cometida acarretará o seu retorno imediato para o regime fechado. Houve uma tentativa em 2018 para Vânia passar para o regime semiaberto, porém um laudo indicou sociopatia e a hipótese foi rejeitada.

Quando cometeu o crime em 2015, Vânia disse que tinha o desejo de matar alguém. Disse em entrevista, que tinha em mente três possíveis vítimas: um amigo, um ‘ficante’ e o ex-namorado Marcos. Antes de matar o ex-namorado Marcos com 11 facadas, Vânia fez uma postagem no Facebook que afirmava não ter sido uma má namorada.

Vânia conseguiu autorização na justiça em 2019 para se casar com um presidiário. A cerimônia aconteceu no cartório de Vilhena e Vânia usou o uniforme prisional para se unir em matrimônio.

Da redação do Acontece na Bahia

Tag(s): , , , , .

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: