Jovem com sintomas de coronavírus acusa médico de assédio

Nesta terça-feira, a paciente Vivian Herculano Salvatore contou que após ter sintomas do novo coronavírus procurou atendimento hospitalar em um centro dedicado a doença.

Apos chegar ao local, ela foi atendida por um médico que teria importunado sexualmente a paciente durante a consulta.

“Ele começou a falar que eu precisava relaxar e perguntou o que eu fazia para desestressar. Achei aquilo estranho, mas continuei respondendo”, disse Vivian.

Nesse contexto, a paciente contou que o médico teria dito que ela não tinha nada e que “precisava de três coisas: oportunidade, vontade e coragem”, em seguida ela percebeu a intenção do homem.

O caso é investigado como crime de importunação sexual na Delegacia de Defesa da Mulher de São Vicente. Quem pratica casos enquadrados como importunação sexual poderá pegar de 1 a 5 anos de prisão.

Segundo nota da Prefeitura de São Vicente, a denúncia está sendo apurada pelos orgãos competentes e que o funcionário foi imediatamente afastado da função.

Categoria(s): Nacional.

Comente: