Jovem com histórico é o principal acusado na morte de casal e delegado diz que: “Não achamos nenhuma motivação em comum”

A Polícia Civil do Rio do Sul, no Vale do Itajaí, apontou um adolescente de 17 anos, como o principal suspeito de matar um jovem de 21 anos que teve partes do corpo escondidas dentro de uma mala, além de um casal, com uma diferença de três dias.

O delegado Thiago Cardoso Silva, confirmou estas informações ao portal G1, nessa quinta-feira (16). O suspeito está apreendido desde o dia 16 de outubro e tem envolvimento em pelo menos mais uma morte na região. O delegado responsável pelo caso disse que não foi possível confirmar se houve uma motivação comum entre os assassinatos.

” O adolescente apreendido é suspeito tanto da morte do Renan, do Rafael e da Pâmela, mas não achamos nenhuma motivação [em comum] entre os dois [crimes]”, disse o delegado.

Os assassinatos têm relação com o tráfico de drogas, de acordo com Thiago. No depoimento, o adolescente permaneceu em silêncio, mas negou ter participação nos crimes.

O adolescente responderá por ato infracional análogo a homicídio. Segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), os inquéritos dos crimes foram encerrados e o processo corre em segredo de Justiça.

Segundo Thiago, o jovem era amigo de Renan e Rafael. A morte de Pamela, segundo as investigações, se tratou de uma “queima de arquivo”. A vítima estava levantando informações sobre os autores da morte do companheiro, após o assassinato.

O jovem foi visto pela última vez no dia 4 de maio na região do terminal de ônibus da cidade, no bairro Canta Galo, segundo informações da polícia. De acordo com as investigações, imagens de câmera de segurança de um estabelecimento filmaram o rapaz passando desacompanhado pelo local.

O pai da vítima registrou o seu desaparecimento, entretanto, as primeiras pistas do paradeiro do filho só surgiram nove dias depois, em 12 de maio. Na ocasião, um pescador encontrou uma perna boiando no Rio Itajaí-Açu. O membro foi reconhecido pelo familiar em razão de uma tatuagem.
As investigações relatam que foi o pai quem encontrou outras partes do corpo do filho. O familiar encontrou a cabeça dele dentro de uma mala. A polícia não divulgou o local em que os membros foram encontrados. Na ocasião, ninguém foi preso e um suspeito de envolvimento no crime foi morto durante as investigações.

Em uma cerimônia realizada no Cemitério Municipal, os restos mortais do jovem foram enterrados em setembro passado. Pamela, de 26 anos, foi morta a tiros no dia 8 de outubro, três dias depois da morte de Rafael. Quando o seu companheiro foi morto, Pamela disse à Polícia Militar que estava tomando banho quando ouviu seis tiros. Ao sair do banho, Pamela encontrou o marido já sem vida com vários tiros pelo corpo. Pamela foi morta da mesma forma em frente à residência da sogra dela.

Da Redação do Acontece na Bahia

Categoria(s): Destaque, Nacional.

Comente: