Jovem autodidata com paralisia cerebral se forma para ajudar a família no sustento

Renato, de 30 anos, foi diagnostico quando tinha apenas 1 mês de vida com paralisia cerebral. Além disso, ele desafiou algumas das suas limitações para investir em algo que ama muito: artes gráficas.

Nesse contexto, o Nego Nato, como é conhecido na zona norte de São Paulo, onde mora com a família, ganhou o primeiro computador quando tinha 15 anos. Foi quando ele iniciou no design gráfico, mesmo com diversas dificuldades.

Hoje ele faz artes e, com o dinheiro que ganha do trabalho, ajuda no sustento da família. Só que Renato ainda não tem todo o equipamento que precisa para trabalhar.

O site Razões para Acreditar criou uma vaquinha para ajudá-lo comprar equipamento essenciais. Caso queira ajudar clique no link: https://voaa.me/vaquinha-negonato

E mesmo com diversas dificuldades, Nego Nato ainda realiza um evento social todos os anos: o “Samba do Nego Nato”. A festa acontece no dia do aniversário dele e, em vez de presente, Nego arrecada alimentos para famílias carentes. Ele também frequenta um grupo de capoeira. Para ele, não há limites.

Por fim,ele deseja é fazer um curso profissionalizante para aperfeiçoar mais as suas técnicas, além de poder ingressar em novos nichos de mercado para ele e sua família.

Um dos grandes sonhos de Nego é poder ter seu próprio cantinho e equipamentos adaptados para ele trabalhar com muito mais perfeição.

Todo valor arrecadado na vaquinha será para a compra de maquinários, para ajudar a família se manter durante o período da pandemia e quem sabe, para que Renato consiga ter seu próprio cantinho também.

Categoria(s): Social.

Comente: