Israel conseguiu reduzir sua taxa de internação pela Covid-19 em mais de 60%; de 128 mil pessoas vacinadas, apenas 20 foram contaminadas.

Uma boa notícia circulou nas redes nesta manhã de terça-feira (26). O Estado de Israel conseguiu reduzir sua quantidade de internações entre os idosos em mais de 60%. Mas como eles fizeram isso?

Na ultima segunda-feira (25), o Ministério da Saúde de Israel confirmou uma queda de 60% no número de internações entre os idosos após o início da sua campanha de vacinação.

O país começou sua vacinação no dia 20 de dezembro do ano passado e está muito adiantado em relação aos outros países. O país já está aplicando a segunda dose do imunizante.

De acordo com as autoridades do país, entre o grupo de 128.600 pessoas vacinada, apenas 20 contraíram a Covid-19 após serem imunizadas.

“Esses resultados são muito bons e, se ficarem assim, pode ser que a vacina seja mais eficaz do que a Pfizer estimou durante seus testes” comentou Anat Ekka Zohar, responsável pela análise publicada.

Além da vacinação, o país adotou também uma forte política de lockdown no início da pandemia para controlar a quantidade de casos.

Logo no início, o país fechou o país e, atualmente, está indo para seu terceiro lockdown. Israel fechou seus aeroportos nesta segunda-feira (25) para impedir que variantes do vírus entrem através de viajantes e atrase o processo de imunização.

Além disso, o país foi um dos primeiros a encomendar a vacina. Israel comprou uma grande quantidade da vacina da Pfizer antes mesmo dela ser aprovada.

Tag(s): , , .

Categoria(s): Destaque.

Comente: