Irmã do cantor Criolo morre de Covid-19 aos 39 anos

Cleane Gomes, irmã do rapper Criolo, morreu no último sábado (5), aos 39 anos, vítima de Covid-19. Ela deixa um filho de 12 anos.

A informação foi confirmada pela família do artista nas redes sociais. Em postagem feita nesta segunda-feira (8), a mãe de Cleane, Maria Vilani, homenageou a filha.

“Foi boa mãe, boa filha, boa irmã, magnífica tia, uma excelente amiga e professora, uma grande artista circense e cênica, artista plástica, compositora e poeta das boas”, afirmou Maria.

Cleane lecionava no CapsArts (Centro de Arte e Promoção Social do Grajaú) e na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Jardim Sipramar, segundo o Sindsep (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo).

Na segunda-feira (7), durante protesto de profissionais da educação em frente à Câmara Municipal que exigia a vacinação geral dos professores, os colegas lamentaram a morte de colegas vítimas da doença – dentre elas, o falecimento de Cleane.

No texto em que falou sobre a morte da filha, Maria Vilani disse que sonhava em ter uma filha e que o nascimento de Cleane foi o dia mais feliz de sua vida. Ela já era mãe de Clayton e Kleber (o rapper Criolo).

“Meu grande sonho era ser mãe de menina desde o primeiro parto, mas Papai do Céu presenteou-me com dois meninos maravilhosos, e depois de sete anos você chegou, depois de uma gravidez muito difícil, pois parecia que você não queria vir a esse mundo, mas aceitou a missão para fazer-me feliz”, diz parte do texto.

Maria continua o texto de homenagem nos comentários do post, e diz que não sente revolta.

“(…) Sinto no meu coração e na minha alma que você partiu no seu momento de partir, se não fosse a Covid-19, seria qualquer outro motivo. Você realmente terminou a sua missão nesse plano, em 5 de junho de 2021. Seria egoísmo não aceitar a sua libertação.”

“O que lamento nesse momento é mandar esse texto para o mundo, sem a sua revisão, você revisava tudo antes de eu postar nas redes sociais, o texto vai cheio de erros, mas cheio de amor, aceitação e resignação. Deus te abençoe. Mamãe Maria Vilani. São Paulo, 07 de junho de 2021 – 19h35.”

Textos e informações do portal G1

Categoria(s): Destaque.

Comente: