Infestação de potós gera preocupação em cidades do Nordeste

Um inseto que estava sumido há algum tempo reapareceu com força nas últimas semanas. O potó é um velho conhecido das regiões mais quentes do país e vem causando problemas de saúde.

Primeiramente, o popular potó é da família dos besouros, mesmo que não se pareça tanto com um. Lembrando mais uma formiga grande com cores em tons vermelho e preto, o animal está gerando preocupação na região do Vale do São Francisco. Nas cidades de Petrolina, em Pernambuco, e em Juazeiro, na Bahia, o número de relatos de pessoas afetadas pelo animal cresceu nos últimos dias. Além disso, também há relatos de casos no Piauí e em outros estados do Nordeste. Depois de incidentes com o potó, algumas delas precisaram até mesmo procurar atendimento médico. Mas o que esse bicho realmente faz?

Com uma aparência longa, o potó tem, na sua cauda, estruturas que produzem substâncias ácidas. Quando se sente ameaçado ou é atacado, ele lança esse líquido, podendo causar irritação, dor, bolhas e até queimaduras de 2º grau na pele. Porém, os danos podem ser ainda maiores se o líquido atingir áreas sensíveis como a boca e os olhos. Então, como se proteger?

Assim como outros insetos, o potó gosta de se esconder em frestas e locais mais apertados. Por outro lado, eles também costumam ficar próximos às lâmpadas e equipamentos eletrônicos que emitam luz. Portanto, é bom ficar de olho nesses locais.  Em casos de acidentes com ele, especialistas aconselham que o local seja limpo apenas com água e sabonete. Ainda assim, caso haja muito incômodo, é indispensável ir ao médico.

Da Redação do Acontece na Bahia.

Categoria(s): Nacional.

Comente: